Canal

  RP

 

 Ano 1 - nº 2 - 27 de outubro de 2000

Sumário

  • 29 de outubro é Dia Nacional do Livro (Dia D)
  • Semana de Relações Públicas em Minas Gerais (ACOMtece)
  • 5° Congresso de Produção Científica é realizado na UMESP (Agência Faz)

  • SINPRORP é tema de projeto experimental (Propesq)
  • CONRERP promove 19º Prêmio de Opinião Pública (Propesq)
  • Desvendando a Opinião Pública -
    pesquisa qualitativa
    (Propesq)
  • Sugestões (Comunique-se)

Dia D



    Nesta semana foram registradas no calendário algumas datas que merecem destaque. Confira.


28/10 –
Dia de São Judas Tadeu 
              Dia do Funcionário Público

 
29/10 – Dia Nacional do Livro


30/10 –
Dia do Balconista
              Dia do Comerciário
              Dia da Decoração


31/10 –
Dia Mundial do 
              Comissário de Vôo
              Dia das Bruxas


01/11 –
Dia de Todos os Santos


02/11 –
Dia de Finados


03/11 –
Dia da Instituição do Direito
              ao Voto para a Mulher (1930)



29 de outubro é Dia Nacional do Livro

 
   
O homem sempre se comunicou oralmente e através da escrita. Na Pré-história, com signos, registrou informações  nas cavernas. Depois utilizou a madeira, o pergaminho e o papiro. Somente no século XV, com a invenção da imprensa, passou a difundir informações a todas as pessoas. Hoje, com o desenvolvimento educacional é possível ler grandes obras nas bibliotecas públicas e particulares. E, através da Internet, detectar sites interessantes com dicas de livros. Verifique.

www.geocities.com/broweb = Resumo de livros dos vestibulares, dicas e comentários sobre provas, além de simulados on-line.

www.academia-online.com.br = Lança-mentos, livros raros e esgotados, livros universitários e educativos.

www.amx.com.br/novosautores = Nesse site, você compra os livros de autores desconhecidos e aprende a editar livros solos.


ACOMtece



Semana de Relações Públicas em Minas Gerais


      No período de 30 de outubro a 1º de
novembro será realizado, no
campus da
Universidade Federal de Minas Gerais
(UFMG), a Semana de Relações Públicas
de Minas Gerais. O evento é direcionado
a estudantes, professores e profissionais
da área de comunicação interessados
em trocar experiências e discutir temas
referentes às Relações Públicas. Serão
tratados assuntos relacionados à
formação profissional e curricular,




e


mobilização social e gestão
organizacional, dentre outros.
    A inscrição pode ser feita através do endereço www.fundep.ufmg.br.
Estudantes - R$ 50,00; profissionais -
R$ 70,00. Os 40 primeiros inscritos,
fora de Belo Horizonte (MG), terão
alojamento gratuito.
Mais informações:
www.semanarp.cjb.net ou
semanarp@hotmail.com


Agência faz



5° Congresso de Produção Científica é realizado na UMESP

    
     
No período de 6 a 8 de novembro,
será realizado o "5° Congresso de Produção Científica". O evento acontecerá durante o horário de aulas nos turnos matutino e noturno (07h30 às 11h e 19h30 às 23h), no campus Rudge Ramos da Universidade Metodista de São Paulo. Conta com a assessoria da Agência de Relações Públicas – unidade experimental da UMESP- responsável pelo estudo da dinâmica de receptivo, credenciamento de participantes, controle de presença, apoio aos coordenadores de sessões -, além da participação de outras agências como a de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e a de Turismo.
A equipe de Relações Públicas responsável está, desde  o mês de maio de 2000, acompanhando o desenvolvimento e a organização do

      



e

e


evento que contará com a apresentação de 560 trabalhos da UMESP e de outras instituições. Além disso, como estão previstos mais de 8 mil participantes, a coordenadora da agência de RP, professora Isildinha Martins, treinou 250 monitores que orientarão e auxiliarão as pessoas presentes.
      Palestras, workshops e outras atividades paralelas estarão sendo desenvolvidas durante o 5º Congresso, como por exemplo, o projeto "Mate a fome com cultura", dos alunos do VI semestre de RP, que envolve mostras de curtas-metragens brasileiros, festival de poesia, palestras de profissionais da área, teatro e exposição de fotos.

     
Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.metodista.br/5congresso .

Propesq

 

SINPRORP é tema de projeto experimental


      Um grupo de alunos do VIII semestre do curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), orientados pela professora Maria Aparecida Ferrari, está realizando um projeto experimental sobre o Sindicato dos Profissionais Liberais de Relações Públicas de São Paulo (SINPRORP). O projeto tem como objetivo estabelecer uma relação transparente entre SINPRORP e os seus públicos, visando unir a categoria e, conseqüentemente, aumentar o número de associados e sindicalizados. 
      Mais informações:
zapprp@globo.com ou
www.sinprorp.org.br
 

Desvendando a Opinião Pública -
pesquisa qualitativa


    "Parecia inchado de veneno. Em sua
pele transparente refletiam-se todas as cores, e se viam as entranhas que se retorciam como vermes. Era grande o suficiente para inspirar temor, e abria e fechava pinças como de caranguejo que cobriam todo seu corpo. Hora saltava como uma  rã, hora se movia com agilidade espantosa com uma porção de patinhas. Voltei, aterrorizado, mas como queria continuar meu caminho, me enchi de coragem, dei um poderoso golpe e imediatamente se transformou em uma rã. Fiquei assombrado, e muito mais quando
alguém atrás de mim disse, disse: 'É a
opinião pública ...'"  (Schlegel, Friedrich.
Lucinde, 1799, Berlin (tradução em
castelhano: Lucinde.
Una novela,
Valencia, Natán, 1987). 
    
Como formar, controlar, enfim,
conhecer a opinião pública? Da
imposição à aplicação de estratégias,
responder a esta pergunta envolve a
busca de informações: quem são os
atores, onde estão, como se comportam,
o que pensam e desejam? 
     Na história contemporânea, os estudos
sobre opinião pública se desenvolveram
em função do comportamento político.
Tanto em regimes de ditadura, como em
sociedades democráticas,  governar
implica conhecer o público. Num contexto
empresarial, conhecer seus públicos de
interesse, internos ou  externos, faz a
diferença entre vencer ou sucumbir. 
     Porém, estudar a opinião pública vai
além da aplicação de métodos científicos
que captem as opiniões ou preferências
através de instrumentos padronizados
que buscam informações quantitativas.
Neste processo, é preciso lembrar que,
conforme uma das suas cinqüenta
definições operacionais, "a opinião
pública é constituída por opiniões sobre
temas controvertidos que podem ser
expressas em público sem isolar-se".
Platão, Maquiavel, Shakespeare,
Montaigne, Locke e outros já alertavam
para a questão do consenso em assuntos
envolvendo o público (aqui definido como
oposto ao privado).
  
Estando opinião pública relacionada
com exposição, fama e reputação, seu
estudo deve procurar vencer a espiral do
silêncio (Noelle Newman), aquele espaço
de consenso, em que as pessoas protegem-se do isolamento social. Mas como fazer isto? Como conseguir que as pessoas expressem voluntariamente suas
preferências, opiniões e desejos?
Através das técnicas qualitativas, que
exploram os mecanismos de defesa dos
indivíduos. 
    Na academia, no mercado, na política,
entrevistas focalizadas ou em
profundidade, grupos de discussões,
observação direta (aqui aproximando-se
da Antropologia) são meios cada vez
mais utilizados para a compreensão de
um indivíduo bombardeado por


 

CONRERP promove 19º Prêmio de Opinião Pública

    
     O Conselho Regional de Relações Públicas (CONRERP) está promovendo o 19º Prêmio de Opinião Pública (POP).
O evento tem como objetivo distinguir, periodicamente, os melhores trabalhos de RP desenvolvidos, nos  anos de 1999 e 2000, por profissionais do setor, em benefício de empresas e instituições privadas ou governamentais no Brasil. As inscrições poderão ser feitas até o dia 31 de outubro pelo correio ou pessoalmente na sede do CONRERP.
        Mais informações: Rua Dr. Rafael de Barros, 505 - Paraíso- São Paulo – SP/ Cep: 04003-043/ Tel: 3887-7115/ Fax: 3885-45868; ou no site: http://www.portal-rp.com.br/pop/&pop.htm




w


informações, participante de um meio
social cada dia mais complexo, que se
torna cada vez mais exigente.       
      As características da pesquisa
qualitativa podem ser resumidas como
sendo: (1) pequeno número de unidades
de amostra; (2) amostras estas
geralmente descritas com o termo
intencional; (3) aplicadas num contexto de
abordagem indutiva. O material produzido
pelas técnicas qualitativas de coleta de dados consiste de descrições detalhadas de situações, eventos, pessoas, interações e observações de comportamento; citações diretas sobre suas experiências, atitudes, credos e pensamentos; e passagens de documentos, registros de correspondência, e estudos de caso. Mas como validar e confiar em um grande número de informações variadas, originárias de um número reduzido de casos? Esta é a primeira pergunta feita num ambiente de pesquisa de tradição quantitativa, onde 'mais era mais'.
      Uma forma de olhar a confiabilidade da pesquisa qualitativa é assegurar-se de que o processo todo da pesquisa é mostrado de forma ‘transparente’ aos seus leitores. Isto requer esforço considerável por parte dos pesquisadores para que permaneçam conscientes dos modelos e pressuposições com as quais eles estão trabalhando, e do processo pelo qual eles chegaram às conclusões da pesquisa. 
     A validade deve ser observada nos seguintes aspectos: (1) validade aparente - quando um método de pesquisa produz o tipo de informação desejado ou esperado; (2) validade interna - refere-se à coerência interna das descobertas - à adequação de concordância entre os dados e as descobertas ou conclusões; (3) validade instrumental - procura a combinação entre os dados fornecidos por um método de pesquisa e aqueles gerados por algum procedimento alternativo aceito como válido;
(4) validade teórica - refere-se à legitimidade dos procedimentos da pesquisa em termos de teoria estabelecida - psicológica, sociológica, etc.; (5) validade consultiva - refere-se à validação dos dados ou informações através da consulta dos envolvidos no processo da pesquisa.


Referências bibliográficas:

NOELLE-NEWMANN, Elisabeth. La
      espiral del silencio - Opinión Pública:
      nuestra piel social. Barcelona: Ed.
      Paidós Ibérica, 1995.

SYKES,  Wendy. Questões sobre validade
     e confiabilidade na pesquisa
     qualitativa.
Journal of The Market
    Research Society - Vol. 33, number 1.

Comunique-se



Na semana, recebemos vários e-mails. Uns elogiando e outros criticando. A crítica foi resultado dos problemas técnicos que tivemos no envio do primeiro número. Inclusive, pedimos desculpas a todos.
Se você quiser colaborar conosco, envie suas sugestões para o e-mail: canalrp@metodista.br

"Quero cumprimentá-los pela qualidade do 'Canal RP', um veículo digital que vai projetar sem dúvida o curso de RP na comunidade acadêmica nacional.

Parabéns a todos, especialmente a professora Isildinha, bem como a professora Cida, atual coordenadora do curso, ao professor Waldemar, ex-coordenador, e também à professora Graça Caldas, diretora da Faculdade. Aproveito o ensejo para agradecer todo o apoio que a Agência vem dando aos projetos da Cátedra UNESCO." (José Marques de Melo - coordenador da pós-graduação de Comunicação Social da UMESP).

"Parabéns por mais essa atividade. Ficou um belo trabalho, bastante informativo, claro e interessante." (Maria Cristina Gobbi - editora do JBCC).
"Quero parabenizá-los pelo número 1 deste informativo!" (Herom Vargas - professor do curso de jornalismo da UMESP)
"Acabo de ler o primeiro número do 'Canal RP' e fiquei muito feliz com tudo; do lay-out do material ao seu conteúdo! Meus parabéns a toda a equipe! Em breve, estarei participando bastante, dando opiniões, contribuições e tudo o mais..." (Katia Filippi Pecoraro - professora do curso de RP da UMESP).


Expediente

 

 

O CANAL RP é um informativo eletrônico semanal da Agência de Relações Públicas - unidade experimental - do curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Tem como objetivo divulgar atividades relacionadas à área de Relações Públicas em âmbito nacional e internacional.

Professoras responsáveis:
Eula Taveira e Isildinha Martins
Editora: Eula Taveira
Sub-editores: Augusto Nascimento, Enrica Onitsuka,
                           Juliana Juliani e Michelle Yendis.
Participação especial: Márcia Perencin Tondato - publicitária, Mestre em Comunicação Social, professora na UMESP e doutoranda na ECA/USP (Desvendando a Opinião Pública - pesquisa qualitativa)
Revisão: Carlos Straccia

Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
Reitor:
Davi Ferreira Barros
Vice-reitor de Administração: Márcio de Moraes
Vice-reitora Acadêmica: Rinalva Cassiano Silva
Faculdade de Jornalismo e Relações Públicas
Diretora:
Maria das Graças Caldas 
Curso de Relações Públicas
Coordenadora:
Maria Aparecida Ferrari
Agência de Relações Públicas – unidade experimental
Coordenadora:
Isildinha Martins

Rua do Sacramento, 230 – Edifício Delta – sala 203 – Rudge Ramos
CEP: 09640-000 – São Bernardo do Campo –SP – Brasil
Fone: 55 11 4366-5880
E-mail: agenciarp@metodista.br