Prêmio Opinião Pública

O CONRERP (Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas/SP-PR criou, durante a gestão presidida por Nemércio Nogueira, o Prêmio Opinião Pública para distinguir e homenagear os melhores trabalhos de RP desenvolvidos no Brasil, com o objetivo de valorizar o trabalho do profissional e divulgar as possibilidades de utilização das relações públicas.

Depoimento em 9/2/1999:

Prêmio Opinião Pública

Nermércio Nogueira

A idéia de criar o Prêmio Opinião Pública surgiu no final da década de 70, quando eu era o presidente do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas – 2a.Região. Exercendo a profissão desde o início dos anos 60, eu sentia muito claramente a necessidade de demonstrar aos empresários e executivos (nossos clientes e empregadores) a relevância profissional de nosso trabalho. Pareceu-me então que uma forma adequada de alcançar essa meta seria a criação de um prêmio que distinguisse os trabalhos profissionais bem feitos e não simplesmente "O Homem de RP do Ano".

Foi assim que, com ajuda inestimável e a imensa dedicação de Antônio da Silva Leite que, à época, era o secretário-geral do Conrerp, escrevi o regulamento e o registramos em cartório. Antes disso, eu havia procurado os dirigentes da ABRP – Associação Brasileira de Relações Públicas – para falar sobre a idéia e propor-lhes que o Prêmio fosse uma iniciativa conjunta das duas entidades. Eles, porém, não demonstraram interesse e por isso o Prêmio Opinião Pública ficou sendo exclusivamente do Conrerp.

Para redigir o regulamento, baseei-me em duas fontes principais: o Silver Anvil, prêmio entregue anualmente nos Estados Unidos pela Public Relations Society of America; e o Top de Marketing da ADVB. E procurei definir que o Prêmio Opinião Pública fosse sempre outorgado a programas específicos, de forma a atingir o objetivo de demonstrar a utilidade e a importância do trabalho de Relações Públicas em várias situações: comunicação interna, apoio a marketing, divulgação jornalística, campanhas comunitárias etc.

Hoje, quase 20 anos depois e já tendo distinguido vários trabalhos, seus autores, as empresas especializadas responsáveis e seus clientes, constato que o Prêmio Opinião Pública poderia alcançar repercussão ainda maior, se os atuais dirigentes das entidades profissionais de Relações Públicas de todo o Brasil se empenhassem em aperfeiçoá-lo e ampliá-lo, descentralizando a premiação e criando concursos regionais, que culminassem na premiação nacional. Quem, aliás, vem seguindo essa estratégia com grande sucesso são os responsáveis pelo Prêmio Aberje de Comunicação Empresarial.

Primeiro trabalho:

O primeiro trabalho inscrito para o Prêmio Opinião Pública foi de João Valentim Ruy Barbosa, na categoria COMUNIDADE, em maio de 1980, conforme registro no CONRERP INFORMA – Órgão Informativo do Conrerp-SP, PR, MT.

Depoimentos sobre o Prêmio Opinião Pública 1981

Em 1981, a revista "Relações Públicas" publicou depoimento de alguns dos jurados que fizeram parte da banca de decisão dos melhores trabalhos.

"Pela segunda vez, em dois anos, um grupo de homens de renome na área de comunicação reúne-se para julgar os melhores trabalhos inscritos no prêmio

"Opinião Pública", instituído pelo CONRERP – Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas, da 2a. Região (SP/PR). Este ano o júri composto por Said Farhat, Armando Ferrentini, Nemércio Nogueira, Romildo Fernandes, Roosevelt Hamam e Jorge da Silva Prado teve a oportunidade de classificar os dez melhores casos de relações públicas. Eis algumas das opiniões dos jurados:

"Tenho participado de muitos júris dentro da atividade de comunicação social. Ainda outro dia, presidindo o concurso de escolha de novos tipos Letraset, aberto a profissionais, estudantes da área e curiosos, dizia aos companheiros jurados que se tratava de mais uma bela experiência profissional para quem já fez parte, entre tantos outros, de um extinto concurso de decoração natalina dos Postos Shell (10, 15 anos atrás). Pois este "Opinião Pública" foi mais um fascinante aprendizado para mim. Os júris, quando bons, além de produzirem bons resultados, contribuem para o aprimoramento profissional dos seus integrantes. Pois foi o que ocorreu, sem falsa modéstia, em mais esta ocasião. Analisar cases de relações públicas, ao lado de Said Farhat, Nemércio Nogueira, Romildo Fernandes, Roosevelt Hamam e Jorge da Silva Prado, foi-me extremamente gratificante. Junto com os vencedores, também ganhei com este "Prêmio Opinião Pública-81." Armando Ferrentini.

"Integrar o júri que analisou e elegeu os dez craques para o Prêmio "Opinião Pública-81", lisonjeou-me e fez-me considerá-lo um dos fatos mais importantes ocorridos na atividade de RP em nosso País. Cada um dos dez "cases" premiados representava um desafio assumido e corretamente cumprido. Foi fascinante observar o alto nível já atingido pelos trabalhos inscritos e que mereceram a outorga desse importante Prêmio. A nossa profissão, através desses trabalhos, acaba de crescer, atinge sua maturidade, cresceu não apenas mais um pouco como vinha ocorrendo até que o Conrerp instituísse o Prêmio "Opinião Pública". Torna-se público agora seu reconhecimento aos profissionais que mais se destacaram durante o ano – um autêntico aval, um incentivo dos mais significativos para todos os que militam nesta séria, complexa e fascinante atividade, incentivo ainda maior para todos os jovens bacharelandos de RP que anualmente vêm semeando o mercado brasileiro em busca de suas primeiras oportunidades e desafios. Mérito ainda maior desse Prêmio é o de permitir a esses mesmos jovens recém-formados a valiosa oportunidade de pesquisar, analisar, estudar o imenso subsídio de informações que estarão cada vez mais à disposição no próprio Conrerp, através desses trabalhos anualmente premiados, cujo conteúdo, altamente didático e prático pelos objetivos, estratégias, execução e os resultados alcançados e comprovados pelos seus autores, passa a ser um centro gerador de novas técnicas e conhecimento a serviço do desenvolvimento do País.
" Romildo Fernandes.

"Embora pequeno o número de trabalhos inscritos (apenas 15, dentre os milhares que devem ter sido executados), o "Prêmio Opinião Pública-81, reuniu uma boa amostra da qualidade dos serviços de relações públicas realizados entre nós. Dois pontos chamaram a minha atenção: a crescente vinculação das atividades institucionais com a cultura brasileira e, para surpresa, a maneira altamente profissional com que certas empresas (especialmente estatais) souberam comunicar-se com seu público, em momentos ou situações de emergência. A premiação bem reflete esses aspectos do trabalho de relações públicas no Brasil. De lamentar é o fato de muitas empresas e profissionais não se haverem inscrito. O trabalho dos jurados teria sido mais exaustivo. Mas, o estímulo resultante do simples ato de concorrer certamente vale seu peso. Talvez os próprios profissionais devam estimular suas empresas, para o ano próximo." Said Farhat

"A possibilidade de se laurear trabalhos que obtiveram destaque em nossa atividade profissional, a exemplo do que acontece em outros setores, deve servir de incentivo a um número bem maior de candidatos nos anos futuros. Efetivamente, os profissionais de Relações Públicas podem e devem se inscrever para concorrer ao Prêmio "Opinião Pública" com muito maior intensidade, o que vai contribuir decisivamente para a valorização sempre crescente da nossa área. O nível excelente dos casos premiados em 1981 é a prova disso. Por outro lado, a iniciativa elogiosa do CONRERP se complementará de uma forma absoluta se o Prêmio abranger a área universitária, outorgando-se troféus específicos para projetos de universitários de comunicação." Roosevelt Hamam

Se há algo de que realmente me orgulho, em termos de realização pessoal, é o fato de ter sido o presidente do CONRERP/SP na gestão que criou o Prêmio Opinião Pública, que se constitui, a meu ver, no mais importante instrumento de divulgação e promoção de nossa atividade no País. Não só porque sua função é distinguir trabalhos realizados – e não apenas os profissionais que os desenvolveram - , mas também porque é, em minha opinião, o mais objetivo meio de difusão das técnicas, estratégias, metas e resultados do trabalho de Relações Públicas. Ano após ano – como acontece já pela segunda vez em 1981 – o Prêmio Opinião Pública estará construindo um verdadeiro painel de trabalhos modelares que, além de divulgar nossa profissão junto aos empresários, estarão também servindo de modelo, inspiração e fonte de conhecimentos para estudantes, professores e até para os próprios profissionais do setor. " Nemércio Nogueira