COMO FAZER JORNAL MURAL

A jornalista Neusa Ribas apresentará um panorama sobre criação, produção e inovação de jornais murais dentro das organizações empresariais brasileiras.

PROGRAMA

• A importância do jornal mural na política de comunicação da empresa
• Finalidades do jornal mural
• Diferenças e complementariedades entre jornal mural e quadro de avisos
• Programação, execução e funcionamento do jornal mural
• Como fazer um veículo rápido e eficaz
• Elementos essenciais a um bom jornal mural
• O texto que garante leitura
• Novas possibilidades visuais – o fim da cortiça e do feltro
• Análise de cases de cinco grandes empresas
• Tira-dúvidas

Neusa Ribas, diretora da Verbo & Sujeito Comunicação Empresarial, é jornalista especializada em comunicação empresarial. Ao longo dos últimos dez anos, criou e desenvolveu publicações para grandes empresas, auxiliou na criação de planos de comunicação, elaborou projetos especiais em comunicação. Recentemente criou uma nova linguagem para os jornais murais, dando-lhes uma roupagem moderna e dinâmica. Entre os clientes atendidos pela Verbo & Sujeito Comunicação Empresarial encontram-se empresas como Basf, Banco Itaú, Credicard, Clariant, Consórcio Nacional Brastemp, Ina, Kibon, Mercedes-Benz, Nestlé, Refinações de Milho Brasil, Sika do Brasil, Unibanco e Vésper.

Maiores informações pelos telefones: (11) 255-5518 e 256-8426.

Data:
   Local:
Horário:
Preço:

Nova data a ser marcada
Rua Dona Antonia de Queiroz, 474 - cj. 03 - São Paulo-SP
Das 9:00 às 17:30 horas
Associado R$ 280,00
Não Associado R$ 380,00


ÉTICA

Comportamento

SEMINÁRIO INTERNACIONAL NA FGV DISCUTE  ÉTICA

Roberto Lippi
de  São Paulo

O cliente senta-se em frente à mesa do gerente do banco e pede uma sugestão sobre como aplicar seu dinheiro. Se oferecer Certificados de Depósitos Bancários(CDB), o gerente leva uma comissão maior. Entretanto, a melhor alternativa para o cliente seria mesmo a poupança. Dilemas como este vão além do bom negócio: envolvem ética profissional.

Maquiar pesquisa de opinião, computar despesas pessoais como gastos com treinamentos, pedir nota fiscal de valor mais alto no restaurante ou aceitar presentes caros são outros exemplos de atitudes mais que comuns nas empresas - e não é de hoje. A diferença é que agora as companhias estão de olho. E uma atitude antiética pode interromper uma carreira de sucesso.

Para discutir questões como estas, a Fundação Getulio Vargas (FGV) vai sediar, entre os dias 19 e 23 de julho, o II Congresso Mundial da ISBEE - Sociedade Internacional de Negócios, Economia e Ética. Organizado pela professora Maria Cecília Arruda, uma das maiores especialistas em ética empresarial no País e coordenadora do Centro de Estudos de Ética nas Organizações(CENE) da FGV, o evento terá como tema "Os Desafios Éticos da Globalização". Palestrantes de toda parte estarão presentes no congresso.

No dia 20, o presidente do conselho do Grupo Shell, Mark Moddy-Stuart, será um dos conferencistas. Com experiência de coordenação de projetos nas diferentes regiões do mundo, o executivo deve dar um panorama de como as questões éticas são vistas e discutidas em diversas regiões. Outros debates no mesmo dia abordarão a ética no mercado de capitais, microcrédito, conflitos étnicos e religião(impacto da globalização nas minorias étnicas), internet e o papel das mulheres nos cargos gerenciais. No último dia, haverá um debate específico sobre a conduta ética dos executivos brasileiros.

"O jeitinho brasileiro, por exemplo, traz uma flexibilidade muito interessantes, mas muitas vezes é usado na malandragem, com o objetivo de burlar a lei", diz Maria Cecília. "E o grande erro é usar o artifício 'isso todo mundo faz' pela justificativa pelas ações incorretas".

Na realidade, não faz muito tempo que essas preocupações passaram a ser encaradas com seriedade pelas empresas brasileiras. Maria Cecília acredita que a forte entrada de multinacionais depois da abertura comercial, no início da década de 90, teve importante papel nisso. "Essa cultura de preocupação com valores éticos e morais é muito forte nos países desenvolvidos", lembra Cecília

idéia de sobrevivência da organização  dá origem a atitudes antiéticas

 No evento, a pesquisadora vai apresentar um estudo que vem sendo realizado pelo CENE, da Getulio Vargas, desde l998, sobre as aplicações dos indicadores de clima ético na indústria brasileira. Foram consultadas 20 empresas.

Os resultados apontam que a idéia de sobrevivência da organização origina boa parte das atitudes antiéticas. "A falta de honestidade é aparentemente ensinada pelas autoridades da empresa. Quando falta ética nesse aspecto, a pressão dos colegas e subordinados sacrifica os padrões éticos em favor de resultados somente financeiros", diz o texto da conclusão do estudo.

Fonte: Gazeta Mercantil, Empresas & Carreiras, página C-2 11 de julho de 2000.


cursos para agosto

Dias: 09 e 10 de agosto
Horário: das 9 às 18 horas
Local:  Plaza Arouche Hotel
          
Rua Bento Freitas, 71 – São Paulo / SP

EVENTOS E CERIMONIAL PARA O SETOR PÚBLICO

-       Protocolo, Cerimonial e Etiqueta - o que é e quando utilizar.
-      
Normas básicas: Precedência; Tratamento; Lugares; Convite; Traje e Ornamentação.
-      
Os  Símbolos  Nacionais e Municipais: Bandeira, Hino, Armas e Selo.
-      
Implantação de cerimônias:  Recepção de autoridades; atraso, representação e ausência; cancelamento de evento; apoio de pessoal; discursos e pronunciamentos; sessão de abertura e de encerramento.
-      
Solenidades no setor público: posse e transmissão de cargo; visitas oficiais; falecimento; inauguração; pedra fundamental; assinatura de protocolos e acordos; galeria de personalidades; entrega de diplomas, títulos e medalhas, almoços e jantares oficiais, coquetel.
-      
Assessoria de Cerimonial - Projeto de Lei.


Dia: 11 de agosto
Horário: das 9 às 18 horas

Local: Plaza Arouche Hotel
         
Rua Bento Freitas, 71 – São Paulo / SP

PROTOCOLO E ETIQUETA PARA VISITAS OFICIAIS

Protocolo e Etiqueta: diferenças, semelhanças e utilização.
Lidando com outros povos - visitas oficiais:
Precedência, Tratamento, Apresentações e cumprimentos - recepção; quando se levantar; aperto de mão, abraços e beijos; linguagem verbal e não-verbal.
O uso de cartões de:
visita; agradecimento; outros.
Troca de presentes e brindes.
Traje empresarial:
tipos e variações.
Almoçando com o cliente:
comportamento à mesa; tipo de refeições - formal e informal; o uso correto de talheres e copos; o que servir para quem.
Condução de reunião:
lugares à mesa; serviço de mesa - coffee-break, work-lunch, água e café; material de apoio.
O uso do telefone convencional e do celular.
Tradução simultânea e consecutiva.
Situações constrangedoras:
quedas, engasgos, gafes.
Conhecimentos básicos sobre hábitos e costumes -
relacionamento entre os povos.


Dias: 22 e 23 de agosto
Horário: das 9 às 18 horas

Local:    Plaza Arouche Hotel
            
Rua Bento Freitas, 71 – São Paulo / SP

PROTOCOLO E CERIMONIAL NA UNIVERSIDADE

Cerimonial, Protocolo e Etiqueta - o que é e quando utilizar.
A Precedência e o Tratamento: Oficial e na Universidade.
O Traje e as Vestes talares.
Os Símbolos Nacionais: Bandeira; Hino; Armas e Selo.
Insígnias e Símbolos Universitários: da Heráldica; do Mérito e da Honraria. As cores e o Hino na Universidade.
Organização de Cerimônias na Universidade:
Infra-estrutura operacional e de pessoal; Recepção, Atraso, Representação e Ausência de autoridades; Composição de mesa - lugares.
Implantação de Cerimônias na Universidade:
Discursos e pronunciamentos; Sessão de abertura e de encerramento.
Solenidades Universitárias: Posse e investidura de cargos;  Aula Magna; Concessão de Títulos Honoríficos; Colação de grau.
Cerimônias diversas:
Assinatura de acordo e convênio; Pedra fundamental e inauguração; Galeria de
personalidades - bustos e retratos; Visitas oficiais - nacionais e estrangeiras; outras.


Instrutora:

GILDA FLEURY MEIRELLES, graduada em Comunicação Social pela FAAP/ SP, com habilitação em relações públicas; Doutor Honoris Causa pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero; Prêmios: Destaque  de Relações Públicas - Setor Governamental - ABRP/SP e UniBraz Cubas (92) e Idéias em Relações Públicas - CONRERP/RJ (92 e 94). Professora de cursos de especialização em eventos, cerimonial e protocolo. Autora do livro “Tudo sobre Eventos” e dos trabalhos: “Eventos e Cerimonial para o Setor Público”; “Cerimonial e Protocolo na Universidade”; “Mestre de Cerimônias” e “Postura Empresarial”. Coordenadora de Comunicação Social da Secretaria da Saúde do Governo do Estado de São Paulo (91-95). Vice-presidente de Cultura da ABRP/ SP e diretora do IBRADEP - Instituto Brasileiro de Aperfeiçoamento e Desenvolvimento Profissional.

INCRIÇÕES E INFORMAÇÕES:
Gimarp Comunicação - Telefax: (11) 7223-6436 e 7223-3727