Custo mais baixo leva brasileiros a optar pelos cursos no Canadá

Em setembro, feira reúne 50 escolas e universidades em São Paulo

Com preços mais atraentes em relação a outros países, o Canadá recebe cada vez mais brasileiros interessados em aprender inglês ou aprimorar-se profissionalmente. Em setembro, informações sobre essas oportunidades serão divulgadas na Feira de Estudos do Canadá.

No último semestre, 2,8 mil brasileiros tiraram o visto para o Canadá. Esse número representou o total de 99, que já foi 35% maior que o do ano anterior. “Ano passado, apesar do recesso pela desvalorização do real, o número de brasileiros que foi ao Canadá cresceu”, diz Lynn Woods, diretora do Centro de Educação Canadense, entidade que divulga o ensino do país.

Os brasileiros “descobriram” o Canadá nos últimos dois anos. Dois fatos contribuíram para isso. Mais divulgação, com a chegada do CEC, em São Paulo, e a desvalorização do real, fazendo com que o custo pesasse mais nas decisões. Comparado a outros países de língua inglesa, o preço dos cursos e o custo de vida no Canadá são menores (ver tabela).

Segundo o CEC, não é preciso desembolsar mais que US$ 2 mil para passar um mês aprendendo inglês no país, com todos os custos inclusos - 30% a menos que nos Estados Unidos. A finalidade predominante continua sendo o aprendizado de inglês (atrai 40% dos alunos), mas aumenta a procura por cursos de maior duração em colégios, pós-graduação, universidades e Master in Business Administration (MBA). “Muitos estudantes vão para uma experiência de um mês, gostam e voltam”, diz Lynn, que dá muita importância a divulgação boca-a-boca.

O Canadá também incrementou a oferta de cursos na área de tecnologia e negócios. Executivos e profissionais de tecnologia procuram cursos de administração, como marketing, finanças e             e-commerce, ministrados em “community colleges”, espécie de escolas técnicas que não exigem grau superior. Essas escolas oferecem ainda aulas nas áreas de comunicação social, animação, saúde, engenharia ambiental, computação e turismo.

Entidade sem fins lucrativos, com sede em Vancouver, o CEC é apoiado pelo governo e mais de 250 escolas canadenses. A rede começou na Ásia, se expandiu para a América Latina e começa a ir para Europa. “O Brasil é um país de alta prioridade pelo potencial de estudantes que procuram o exterior”, diz a diretora.

No próximo mês, a Feira de Estudos do Canadá apresentará 50 escolas e universidades. No ano passado, o evento reuniu 3 mil pessoas em São Paulo, Belo Horizonte e Rio, e este ano, a organização espera receber 8 mil. A entrada é gratuita. A Feira de Estudos do Canadá - Colégio São Luís - R. Luís Coelho, 323, dias 15 e 16 de setembro, das 15 às 21h / CEC. Tel. (11) 3061-1400.


Custos de estudo no exterior (em US$)

Canadá Reino Unido EUA EUA Austrália
(esc. pública) (esc.privada)
Taxa escolar * 7.100 14.800 12.200 20.500 11.700
Custo de vida** 8.100 12.600 10.400 11.600 11.550
Custo total 15.200 27.400 22.600 32.100 23.250

            Fonte: Associação de Universidades e Colleges do Canadá
           
* Preço médio de 1 ano acadêmico (2 semestres) em nível de graduação
           
** Gastos por 1 ano acadêmico (despesas com o custo de vida)

Gazeta Mercantil - SP - Seção Grande São Paulo - Pg. 08 - 24/08/2000, por Adriana Fernandes Farias