com Verónica Galíndez-Jorge

Madame Bovary foi o primeiro romance publicado de Gustave Flaubert, um dos mais importantes romancistas franceses do século 19. O curso pretende apresentar os aspectos mais marcantes do romance, que, publicado em 1857, foi um dos fundadores do Realismo literário. Para isso, é proposta não só uma introdução ao texto, mas também uma análise profunda dos principais elementos que hoje fazem parte da leitura desse romance: seu processo de criação, as várias recepções ao longo do tempo, adaptações cinematográficas e o legado deixado para a literatura mundial.

ENCONTROS
A aventura da escrita  
O contexto a partir do qual Flaubert começa a escrever seu primeiro romance publicado, o contexto de publicação e o processo sofrido por atentado à moral 
3/mai, das 20h às 22h
O estranho boné  
Análise das estruturas fundamentais da obra, como a descrição, a construção da personagem e o incontornável discurso indireto livre 
10/mai, das 20h às 22h
Emma e o desejo  
Uma incursão nas dimensões filosóficas e psicanalíticas da protagonista do romance 
17/mai, das 20h às 22h
O narrador no cinema  
Os problemas relacionados à voz narrativa e suas manifestações em diferentes adaptações cinematográficas de �Madame Bovary� 
24/mai, das 20h às 22h
INFORMAÇÕES

Duração: 4 encontros 
Dias: Quintas-feiras, das 20h às 22h 
Encontros: 3/5, 10/5, 17/5 e 24/5 
Local: Casa do Saber Jardins / Mario Ferraz 
Preço: R$ 230 na inscrição + 1 parcela de R$ 230

SOBRE A PROFESSORA
Verónica Galíndez-Jorge
é professora e pesquisadora de Literatura Francesa na USP e dirige o Grupo de Estudos Literatura, Loucura, Escritura. Atualmente é coeditora da �Manuscrítica�, revista especializada em crítica genética, e publicou �Fogos de Artifício: Flaubert e a Escritura� (Ateliê Editorial). 



com Flavia Galli Tatsch

A França é a mãe do luxo, dona de um estilo que faz sonhar e se distingue do restante do mundo. O início do processo de valorização dos artigos de luxo se deu na corte de Luís 14, quando elegância e sofisticação passaram a ser objetos de desejo, em uma proporção até então impensável. Desde então, os franceses souberam promover a complexa aliança entre um estado de espírito e a suntuosidade. Não por acaso, estabeleceram novos padrões para a moda, a culinária e produção de objetos. O curso apresentará a história do luxo, desde seu surgimento na corte francesa até o sofisticado mundo da moda no século 21.

ENCONTROS
O rei que criou os novos padrões de luxo: a paixão de Luís 14 pela sofisticação e o glamour
2/mai, das 19h30 às 21h30
Da cabeça aos pés: como a indústria da moda criava rainhas 
9/mai, das 19h30 às 21h30
Comer e beber, que prazer! A revolução culinária francesa e a invenção da alta gastronomia 
16/mai, das 19h30 às 21h30
As vitrines do luxo: do mundo artesanal a uma atividade de grandes proporções 
23/mai, das 19h30 às 21h30
INFORMAÇÕES

Duração: 4 encontros 
Dias: Quartas-feiras, das 19h30 às 21h30 
Encontros: 2/5, 9/5, 16/5 e 23/5 
Local: Casa do Saber Shopping Cidade Jardim 
Preço: R$ 230 na inscrição + 1 parcela de R$ 230

SOBRE A PROFESSORA
Flavia Galli Tatsch 
é doutora em História pela Unicamp.



com Ricardo Ohtake

O Instituto Tomie Ohtake completa em 2012 dez anos de sua atuação única no cenário cultural brasileiro, caracterizada por mostras e intervenções polêmicas voltadas para questionar o estado das artes e promover o choque entre linguagens. No encontro, Ricardo Ohtake, diretor geral do Instituto, irá fazer um balanço da experiência da instituição, num momento em que o mercado encontra-se em crescimento explosivo, o que suscita exigências e polêmica.

INFORMAÇÕES

Dia: Quarta-feira, 25 de abril, das  20h às 22h 
Local: Casa do Saber Jardins / Mario Ferraz 
Vagas limitadas. Inscrições gratuitas pelo telefone (11) 3707-8900.

 
SOBRE O PROFESSOR
Ricardo Ohtake 
possui uma trajetória marcada pela condução de políticas culturais. Foi Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, dirigiu o Centro Cultural São Paulo, o Museu da Imagem e do Som � MIS e a Cinemateca Brasileira. Formou-se em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e trabalhou em importantes questões urbanas, principalmente quando foi Secretário do Verde e Meio Ambiente do Município de São Paulo. Atua também na área do design gráfico, desenvolvendo projetos de identidade visual e caracterização urbana, além de editar várias publicações de arte e cultura.