Após 15 anos, a Venezuela terá um novo governante cujo principal desafio será justamente o de substituir Hugo Chávez. A forte crise sucessória que o país atravessa, iniciada meses antes da morte do então presidente, fez com que todo o mundo prestasse atenção à situação do país e à imagem pública de seu presidente, que oscilou entre a de líder que tirou milhões da miséria e a de populista que ameaçou a democracia no país. Chávez também foi o responsável pela mudança de conduta de outros lideres sul-americanos com relação às interferências dos Estados unidos na política e na economia, além de ter estreitado as relações entre Venezuela e Brasil de maneira jamais vista antes. Com o anúncio de sua morte e a iminência de novas eleições presidenciais, o país agora tem grande incerteza quanto ao futuro político, social e econômico. No encontro, o professor Jaime Spitzcovsky, que esteve na Venezuela em janeiro de 2013, fará um panorama da pais na atualidade, bem como suas perspectivas a partir das possibilidades de novo governo.
1 encontro | quinta-feira, das 20h às 22h

Quando: 14/3
Quanto:
R$ 130 na inscrição

 


Jaime Spitzcovsky
é jornalista, foi editor internacional na Folha de S.Paulo por 13 anos e correspondente em Moscou e Pequim. Fez coberturas jornalísticas de fatos marcantes na história, como a desintegração da Iugoslávia (esteve na Croácia em 1994) e da URSS, a libertação de Nelson Mandela, a morte de Deng Xiaoping, a devolução de Hong Kong à China e esteve na Venezuela em janeiro de 2013. Integrou o Grupo de Acompanhamento da Conjuntura Internacional (Gacint) da USP e colaborou com diversos meios de comunicação como TV Cultura e BBC, entre outros.

A busca pela alegria move o homem e sua experiência o alimenta e dá a ele esperança. A busca da felicidade já movimentou a história e fez melhorar o ser humano. Mas a exigência da felicidade tornou-se também uma terrível imposição que submete a todos e acaba resultando no seu oposto. Essa intimação à euforia acaba lançando ao desconforto todos os que não aderem ou não conseguem aderir a ela. Mas o que é a felicidade? Como saber se alguém é feliz, tendo cumprido tal dever? Como seguir fiel à essência dessa aventura, sem sucumbir ao hedonismo e ao mal-estar? O curso pretende apresentar interpretações psicanalíticas da alegria e da felicidade, de maneira a fazer um panorama da sociedade atual e seus anseios.
3 encontros | quintas-feiras, das 20h às 22h
14/3 1. Libido, sexualidade e erotismo como componentes da alegria em Freud
21/3 2. Felicidades versus gozo em Lacan
28/3 3. O imperativo da felicidade no mundo contemporâneo: psicanálise x autoajuda hoje

Quando: 14/3 a 28/3
Quanto:
R$ 195 na inscrição + 1 parcela de R$ 195

 


Pedro Luiz Ribeiro de Santi

é psicanalista, mestre em Filosofia pela USP e doutor em Psicologia Clínica pela PUC-SP. Professor da especialização em Teoria Psicanalítica da Cogeae/PUC-SP e de Psicologia da Comunicação Social da ESPM.