Max Weber, ao cunhar a expressão "desencantamento do mundo" para designar a especificidade do racionalismo moderno frente ao "pensamento mágico" medieval, não supôs a amplitude que a ideia poderia alcançar. Hoje, utilizamos a expressão "Mundo Encantado" para falar de tudo o que houve antes do Desencantamento, isto é, antes da ciência moderna. Do ponto de vista do Encantamento, o Budismo, o Sufismo, o Taoísmo, por exemplo, são ciências. O que se pode entender, então, por Mundo Encantado? O que pode haver nele que seja fundamental para os dias atuais? O curso atravessa grandes questões do Mundo encantado como amor, autoconhecimento e singularidade por meio da filmografia de John Boorman.

4 encontros | sábados, das 11h às 13h

7/6

1. Os temas centrais do Encantamento. Excalibur (1981)

14/6

2. Conhecimento e amor, a inteligência encantada. Excalibur (1981)

28/6

3. A imaginação como faculdade de conhecimento. A Floresta de Esmeraldas (1985)

5/7

4. Ubuntu: a inteligência universal e o homem além do indivíduo. Em Minha Terra (2005)

Quando: 7/6 a 5/7
Quanto: R$ 194 na inscrição + 2 parcelas de R$ 193


Bia Machado
Formada em Psicologia. Doutora e pós-doutoranda em Filosofia pela FFLCH – USP, autora do livro "Sentidos do Caleidoscópio" (Humanitas, 2004), sócia-fundadora da Faculdade da Imaginação, centro de pesquisa em educação aplicada. Pesquisadora do Sufismo e da obra do grande mestre sufi Ibn 'Arabî desde 1980. Representante da MIAS-Latina (Muhyidin Ibn Arabi Society – Espanha) no Brasil. Organizadora do Grupo de Pesquisa Bisonte Encantado (estudos multidisciplinares em torno do Encantamento). Consultora em projetos de pesquisa e educação em organizações privadas. Professora de Modelos de Pesquisa e Aplicação em Educação para grupos privados e escolas.


O curso analisa os discursos éticos dominantes nas empresas, questiona os seus gurus e aponta, nos valores culturais do mercado, suas falhas e cinismos. Inspirado no pensamento de Nietzsche, que recomenda golpear duramente, se necessário com um imaginário martelo, os preconceitos e a hipocrisia dissimulados em verdades estabelecidas – ou aquilo que Francis Bacon chama de “ídolos”, o curso trata dos temas que fazem a pauta de executivos e administradores de todos os tipos e tamanhos, como qualidade de vida, inovação e ética.

4 encontros | sextas-feiras, das 20h às 22h

6/6

1. Ética e valores

27/6

2. Transparência e sigilo

11/7

3. Qualidade de vida e vida de qualidade

18/7

4. Sustentabilidade e inovação

Quando: 6/6 a 18/7
Quanto: R$ 194 na inscrição + 2 parcelas de R$ 193


Clóvis de Barros Filho
Advogado, jornalista e professor universitário. Possui graduação em Direito pela USP e em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, mestrado em Science Politique pela Université de Paris 3 - Sorbonne-Nouvelle e doutorado em Ciências da Comunicação pela USP. Obteve a Livre-Docência pela Escola de Comunicações e Artes da USP, onde atualmente é professor. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria e Ética do Jornalismo, e Teoria e Ética da Publicidade atuando principalmente nos seguintes temas: ética, comunicação, habitus, jornalismo e publicidade. É coautor de A vida que vale a pena ser vivida (em parceria com Arthur Meucci, Vozes), O habitus na comunicação (em parceria com Luís Mauro Sá Martino, Paulus), Comunicaç ;ão do Eu: ética e solidão (em parceria com Felipe Lopes e Bernardo Issler, Vozes); organizador de Ética e Comunicação Organizacional (Ed. Paulus); Comunicação na Pólis (Vozes) e autor de Ética na Comunicação (Ed. Summus) e de A Filosofia Explica as Grandes Questões da Humanidade (Casa do Saber / Casa da Palavra, 2013).


Para Entender a Copa do Mundo
Professor: Marcos Caetano
Duração: 1 encontro
Data: 5/jun, das 20h às 22h