O curso pretende explorar o pensamento de quatro pensadores fundamentais a respeito da beleza e da arte e os momentos da consolidação da estética não apenas alemã, mas universal. A estética se fundamentou apenas no fim do século 18, com a autonomia do belo e da arte, garantidas por Kant, e o sistema da estética criado por Hegel. Ao mesmo tempo, sua consolidação foi possível graças ao enorme desenvolvimento da crítica e da literatura alemã, com as obras de Goethe e Schiller.

4 encontros | quartas-feiras, das 20h às 22h

11/6

1. Kant: o gosto, o gênio e a autonomia do belo

18/6

2. Schiller: o homem só é homem quando brinca

25/6

3. Goethe: poesia e verdade

2/7

4. Hegel: o absoluto, o fim da arte e a consolidação da estética

Quando: 11/6 a 2/7
Quanto: R$ 194 na inscrição + 2 parcelas de R$ 193


Marco Aurélio Werle
Professor de Estética na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, tradutor e ensaísta. Doutor em Filosofia pela USP, onde é professor associado livre-docente no Departamento de Filosofia. Dentro da área de Filosofia, atua principalmente nas linhas de pesquisa de Filosofia da Arte e Estética. Suas publicações tratam principalmente de Hegel, Heidegger e da estética da época de Goethe. Autor de A poesia na estética de Hegel (Humanitas, 2004) e A questão do fim da arte em Hegel (Hedra, 2011).


O Mundo Encantado
Professora: Bia Machado
Duração: 4 encontros
Início: 7/jun, das 11h às 13h