Notícias e reportagens


Francês: um idioma que vale empregos
Várias multinacionais estão por aqui. O melhor atalho para aprender a língua é fazer um curso na França

Ninguém nega a importância de aprender o idioma inglês e o espanhol. Mas com a concorrência do jeito que está não basta, principalmente se seu sonho é trabalhar em uma empresa francesa — são muitas por aqui. Tanto que no ano passado, mais de mil pessoas saíram do Brasil para estudar na França. A simpatia é tanta que, na semana passada, aconteceu em São Paulo o primeiro Tournée Jovem — um evento organizado pela Maison de la France (departamento oficial de turismo francês), em que 12 empresas locais se reuniram para mostrar aos estudantes brasileiros as ofertas de cursos de idiomas no país.

Suaves prestações
A explicação para tanta badalação é simples. O mercado se abriu, atraiu investimentos estrangeiros e as oportunidades de trabalho em firmas de origem francesa aumentaram. Segundo Vincent Toulotte, diretor no Brasil da Maison de la France, dois ótimos exemplos de empresas que aportaram por aqui são as montadoras de automóveis Peugeot e Renault. Além, é claro, das indústrias de cosméticos, de alimentos e da moda — áreas tipicamente de domínio francês.
De acordo com Flávia Mendonça, diretora de marketing da Student Travel Bureau (STB) — empresa especializada em ensino de idiomas no exterior —, os cursos de francês são procurados por pessoas a partir de 24 anos. “Os jovens se interessam em aprender a língua porque querem ser contratados por empresas de origem francesa, que crescem muito por aqui”, garante.
Uma boa sugestão para aprender o idioma é fazer um curso na própria França. “Assim, você pode estudar a língua e, de quebra, ainda conhece a cultura do país”, sugere Toulotte. Grana? Não é nenhum sonho impossível. A viagem pode ser paga com bastante antecedência. “Tem gente que começa a pagar hoje e só viaja daqui a dois anos”, explica Flávia.

Para chegar lá
• Como ir: várias agências podem ajudá-lo. Antes de escolher uma, procure se informar se ela faz parte da Associação Brasileira de Empresas Especializadas em Educação Internacional (Belta). Para mais informações, consulte o site www.belta.org.br ou ligue para ) (11) 3225-0744.
• Tempo de curso: pode durar de duas semanas a nove meses — vai depender do tempo que você tem para ficar e da grana disponível.
• Hospedagem: você pode ficar numa casa de família ou num pequeno hotel. Na primeira opção, há a vantagem de ficar mais tempo em contato com o idioma. O custo da viagem também diminui.
• Preço: Na custa barato, mas pode valer um bom emprego. Na STB, quatro semanas de curso, incluindo hospedagem em casa de família e alimentação (café da manhã e jantar), sai a partir de 1.449 dólares. Em um hotel, você paga pelo mesmo tempo de curso 1.903 dólares, somente com direito à café da manhã. Nos dois casos, a passagem aérea, que pode ser financiada, fica por sua conta. Calcule mais 15 dólares por dia para outros gastos.


À MODA FRANCESA
Para viver numa boa com os franceses e com a família que irá hospedá-lo é preciso entrar no ritmo. Anote algumas dicas:
• Tome somente um banho por dia — e seja bem rápido. Os europeus não têm o costume brasileiro de demorar longos minutos no chuveiro.
• Respeite o horário da família — no café da manhã, jantar ou mesmo para chegar em casa.
• Se não for jantar na casa da família, avise sempre com antecedência. Eles não gostam de atraso e não têm obrigação de ficar esperando por você.
• Presenteie-os com algo bem brasileiro, como pedras brasileiras, tecidos coloridos ou enfeites indígenas.
• Por mais sérios que sejam, os franceses adoram ouvir um bonjour (bom dia ou boa tarde), bonsoir (boa noite), mercy (obrigada), comment-allez vous (como vai?) e s’il vous plaît (por favor).

Reviata Tudo on line 4/12.2001  www.abril.com.br