VISTO PARA O TRABALHO

Poucos enviam apresentação por escrito

FREE-LANCE PARA A FOLHA

Não é fácil se apresentar em até três parágrafos e destacar algumas experiências bem-sucedidas. Essa tarefa fica ainda mais complicada na hora de se decidir entre a ousadia equilibrada -para "fisgar" o selecionador- e a formalidade, para não assustá-lo.
Segundo especialistas, essa indecisão explica de forma parcial a baixa aceitação das cartas de apresentação, principalmente entre os executivos. "Nessa área, apenas 30% dos currículos são enviados com carta", estima a consultora Silvana Case, 42, do Grupo Catho.
Já a consultora de "outplacement" Fabiana Atanes, 26, da Manager, aposta em outro fator: para ela, o que conta na escolha para funções administrativas é o conteúdo do currículo . "A vivência é mais importante do que apenas uma boa idéia no papel, sobretudo entre altos executivos", afirma.
Ainda assim, Marcelo de Lucca, 26, consultor para a área de finanças da Michael Page, não descarta a possibilidade de que uma carta original venha a encurtar caminho rumo a uma vaga no setor. "Pode ajudar, desde que o texto tenha uma certa formalidade e o currículo seja forte", pondera.

Indicação
Se no ambiente executivo o costume de apresentar-se por escrito é quase inexpressivo, entre publicitários e profissionais de marketing a coisa muda de figura.
Atuando em um mercado em que a maioria das vagas são alcançadas por meio de indicações, segundo especialistas no ramo, a carta de apresentação surge como uma forma de tentar surpreender o possível empregador.
"Dos quase 400 currículos que recebemos por mês, cerca de 90% chegam com texto de apresentação anexado", diz Pink Doria, diretora de assuntos corporativos da agência DM9DDB.
A diretora de marketing Ana Stabel, hoje na Warner, apostou no método e mudou de área.
"Atuava divulgando produtos de limpeza, até que decidi mandar uma carta para o presidente da Disney, onde sempre quis trabalhar. Ele gostou, e fui contratada."

Fonte: Folha de S. Paulo - Empregos - chamada de capa. 27 de janeiro de 2002