ATIVIDADE SOCIAL É PASSAPORTE PARA BOLSA DE PÓS

Instituições privilegiam candidatos que realizem trabalho comunitário.

Este ano há pelo menos 67 vagas.

A experiência em trabalho comunitário que interfira em realidades sociais, também em atividades empreendedoras, é passaporte imprescindível para quem sonha com uma bolsa de pós-graduação no País e até mesmo no exterior. Institutos tradicionais desse tipo de investimento no Brasil consideram não só o conhecimento do candidato, mas também se a sua proposta de vida profissional inclui responsabilidade social.

Prova de que essa linha de pensamento ganha mais força no País foi o anúncio, em novembro, da distribuição de bolsas da Fundação Ford - norte-americana sem fins lucrativos - para mestrado e doutorado. Só nesse ano, o programa, em fase de inscrição, irá beneficiar 42 pessoas. “A proposta é corrigir distorções, garantindo preferência a grupos sub-representados, o que não significa que eles deixarão de ser avaliados por seus conhecimentos”, explica a coordenadora do programa internacional de bolsa, Fulvia Rosemberg, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas - instituição coordenadora da seleção e distribuição dos créditos. Ela disse que tanto podem ser beneficiados lideres acadêmicos, políticos e gerentes de comunidades locais, como índios. Fulvia esclareceu que profissionais de origem negra ou indígena e candidatos das regiões do Norte e Nordeste do País serão privilegiados na concessão. A bolsa inclui gastos com alimentação, transporte, mensalidades e hospedagem. A estimativa do programa é beneficiar, até 2007, cerca de 300 pessoas. Não há valor fixo para o subsidio que pode ser integral ou parcial. O candidato será avaliado, inclusive, pela sua proposta de trabalho comunitário. Na Fundação Estudar, que atua no País há dez anos, e agora recebe inscrições para 25 bolsas para MBA e doutorado também no exterior, a lógica é semelhante, só que voltada à formação de administradores de empresas. A superintendente da Estudar, Ilona Becskeházy, diz que a organização evita um tom paternalista. E, ainda, que o trabalho comunitário conte pontos, a vocação para o estudo é fundamental. “Buscamos perfis de potenciais de sucesso. Procuramos salvar quem possa salvar os outros”, conta. “Espero que o nosso exemplo inspire outras pessoas e que elas nos copiem, criando novas fundações em outras áreas.” Uma das obrigações dos bolsistas é dividir sua experiência com os demais.

Lá eles também se comprometem a ressarcir o valor posteriormente, o que garante o ingresso de outros estudantes na corrente. As bolsas podem chegar a US$ 30 mil. A Estudar concede bolsas para graduação em Administração e Economia no Brasil, mestrado em Administração no Brasil, MBA no exterior e mestrado em Direito Comercial/Societário nos EUA.

O Instituto Ling, mantido pela família Ling, controladora do grupo Petropar, no Sul, também está oferecendo bolsas de estudos para mestrado em Administração de Negócios (MBA) em escolas internacionais, além de proporcionar acompanhamento de carreira após o término do curso. As bolsas são parciais e reembolsáveis após o termino da formação e somente após a recolocação do aluno no mercado de trabalho. Os valores reembolsados serão destinados ao custeio de novas bolsas.

Locais de inscrição:

- Fundação Ford - A seleção é feita pela Fundação Carlos Chagas . Endereço para envio de documentação  por correio: Programa bolsa - Avenida Professor Francisco Morato, 1565, Jardim Guedala. CEP 05513-900 - São Paulo - Tel. (11) 3723-3113. E-mail: programabolsa@fcc.org.br   site www.programadebolsa.org.br

 

- Fundação Estudar - A inscrição deve ser feita até dia 30 de abril pelo site da instituição - www.estudar.org.br

 

 - Instituto Ling - recebe inscrições até maio. As bolsas são parciais e reembolsáveis após o termino do curso e somente após a recolocação do aluno no mercado de trabalho. Os valores reembolsados são utilizados para bancar o estudo de novos alunos. Informações no site www.instituto-ling.org.br ou pelo e-mail: instituto.ling@petropar.com.br

 

Fonte: Jornal O Estado de S.Paulo - Seção Classificados - pg.01 - 10/2/2002, por Terciane Alves.