Programas aliam ensino à profissão

FREE-LANCE PARA A FOLHA

Alguns estudantes podem aproveitar a viagem e trazer experiência profissional na bagagem.
Os amigos Danilo Nóbrega da Cunha, 23, e Fernando Rezende, 23, partiram para Portugal, onde vão fazer um programa de trainee na Portugal Telecom por um período de quatro a seis meses, com remuneração mensal de 1.050 (cerca de R$ 2.100)."Queria conciliar a viagem com uma experiência profissional", conta Cunha.
"Há mais oportunidades em áreas técnicas", comenta Andréa Pinotti, 33, gerente de marketing da Central de Intercâmbio, que tem estágios remunerados de dois a seis meses em 70 países.
Outra empresa que oferece essas opções é a Aiesec São Paulo, especializada nas áreas de administração, engenharia e terceiro setor (veja quadro na página 3).
Por esses programas, as instituições cobram taxa de inscrição, (em média de R$ 40) e de intercâmbio (cerca de R$ 500).
"Além de aprimorar o idioma, o estagiário desenvolve iniciativa, jogo de cintura e ganha visão de outras culturas", diz Giuliana Nigro, da Passarelli Talentos.

Diferencial
Apesar de ter experiência em duas empresas, José Caldeira Neto, 22, aposta no estágio em engenharia têxtil na Universidade de Aachem (Alemanha) como diferencial para a sua carreira. "A tecnologia lá é mais desenvolvida, espero voltar com novidades e melhorar meu domínio de alemão."
Alma Custódio, gerente de projetos da Foco Talentos, afirma que, para obter o melhor da experiência internacional, é preciso não se afobar. "Quem vai logo no início da faculdade não aproveita a bagagem de conhecimento que o curso proporciona", afirma.
O estudante de administração Henrique Bussacos, 22, seguiu a fórmula e estagiou por cinco meses na Índia. "Aprendi a me relacionar melhor", conta.
Antes de ir, há cuidados a serem tomados. "É fundamental obter informações e conversar com quem já foi", diz Nigro.
Evitar contratempos envolve checar se a empregadora no exterior é idônea e se o estágio é autorizado. Isso pode ser feito por meio de consultas aos consulados dos países, por exemplo. (BMF)


Texto Anterior: Conexão internacional: Planejamento barateia estudo no exterior
Próximo Texto: Feiras reúnem instituições de diversos países
Índice

Folha de Sao Paulo, São Paulo, domingo, 03 de março de 2002, Empregos, pag. 2 www.folha.com.br