"Vida real" não oferece o que os novatos buscam

FREE-LANCE PARA A FOLHA

A primeira razão apontada pelos universitários para eleger as "melhores empresas para trabalhar" revela um certo distanciamento da realidade do mercado. O que eles procuram, segundo a pesquisa da Companhia de Talentos e Lab.SSJ, é um bom plano de carreira.
"Eles esperam encontrar um ambiente estruturado, como a universidade. Não sabem que o mercado é caótico e mais complexo do que imaginam. As empresas não são mais responsáveis por estruturar a carreira de um indivíduo, ele é que tem de construí-la", afirma Alexandre Santilli, do Lab.SSJ.
Para resolver a questão, os consultores sugerem que haja uma integração maior entre o mercado e as faculdades, que podem se aproximar em feiras de recrutamento e outros eventos para esclarecer os estudantes.
"As universidades não estão abrindo seus programas para o mundo, mas, sim, focando em especializações. Não é isso o que o setor empresarial procura", resume a gerente de recrutamento da Unilever, Monica Pinto.

São Paulo, domingo, 01 de dezembro de 2002
pág. 3