Revista Comunicação Empresarial



Ano 11 - Nº 41
4º Trimestre de 2001

Excelência reconhecida no exterior

Volvo e ADS representam o Brasil no encontro mundial
de RP e brilham no Golden World Award, em Berlim.

Mateus Furlanetto*

O Brasil brilhou mais uma vez no exterior, e desta vez não foi pelos feitos de nossos ginastas ou pelas raquetadas fulminantes de Guga. O motivo agora foi o reconhecimento da qualidade alcançada na comunicação de duas empresas: Volvo e ADS, premiadas no Golden World Award, concedido pela International Public Relations Associations (IPRA). A premiação aconteceu durante a realização da conferência Relações Públicas Globais – o Gerenciamento da Diversidade Cultural, que ocorreu de 14 a 17 de outubro em Berlim, na Alemanha. A Volvo do Brasil, em parceria com a revista Carga Pesada, foi contemplada com o Frontline Special Award, honraria que reconheceu a excelência do case Caravana Ecológica contra o tráfico de animais silvestres, vencedor dos prêmios ABERJE Sul e Brasil na categoria Projetos de Cidadania Empresarial. Já a ADS – Assessoria de Comunicação recebeu menção honrosa na categoria Relações com a Comunidade, pelo trabalho realizado para os Terminais Rodoviários Socicam.
Durante a conferência, que reuniu cerca de 350 profissionais de relações públicas provenientes de 55 países, uma importante vertente de RP foi posta em debate: o desafio de estabelecer relacionamentos e desenvolver estratégias de comunicação que respeitem a cultura e a identidade dos diversos públicos com os quais as organizações interagem em cada localidade. Esse conceito se aplica às organizações que atuam em nível global, tais como Daimler Chrysler, Coca-Cola, Volkswagen, Shell e também às assessorias internacionais de RP, como Edelman, Weber Shandwick, Burson-Marsteller, Hill & Knowlton e Ketchum, para citar algumas das empresas e assessorias que enviaram palestrantes ao evento. “Aquelas organizações que não aceitarem as culturas e identidades locais, não obterão sucesso nos negócios e na comunicação em nível global”, afirmou Volker Stoltz, organizador da conferência.
Christoph Walther, diretor de comunicação da Daimler Chrysler AG, reconhece que os diversos mercados onde a empresa atua exigem diferentes tipos de comunicação. “Isso não significa, entretanto, ausência de direção, pois, na busca de credibilidade, é necessário que a empresa se comunique com uma só voz”, argumenta Walther. Para o executivo, é preciso que todos os empregados compartilhem das metas, valores e objetivos da empresa. “Uma vez estabelecidos esses aspectos, cabe às áreas de comunicação espalhadas pelo mundo escolherem o tipo de mensagem, respeitando as culturas e as identidades locais”, complementa. É bom lembrar que a Daimler Chrysler passou por um momento de fusão de duas companhias que possuem culturas corporativas distintas e que, portanto, necessitam de um cuidado especial dos profissionais de comunicação.
Já a Coca-Cola, que mudou sua política de comunicação após a crise enfrentada na Bélgica, com repercussão mundial, adota o lema “Pensar e agir localmente”, explicou Jonathan Chandler, diretor de comunicação da companhia para o Oeste Europeu. “Temos de agir como cidadãos-modelo em cada comunidade onde a empresa está presente”, exemplifica. Para Chandler, cabe aos profissionais de comunicação de cada localidade escolher qual será o foco de atuação na comunidade no tocante aos projetos de cidadania empresarial da companhia. “Nesses casos, a mensagem, a ênfase e o timing requerem um comando local, pois são os profissionais que atuam na região que conhecem melhor o mercado em que vivem”, conclui.

(*)Mateus Furlanetto é relações públicas da ABERJE e foi enviado a Berlim especialmente para cobrir o evento.
E-mail: rpublicas@aberje.com.br