NOVA EMPRESA DA GREY VAI FAZER PROMOÇÃO

SOB MEDIDA PARA CLIENTES

A Grey Global Group anunciou ontem a nova empresa do grupo no Brasil - Alfaiataria de Marketing G2 - que é especializada no segmento de marketing promocional. A empresa foi criada com base na parceria do grupo norte-americano com quatro sócios brasileiros que já planejavam o lançamento da agência. No total, a Grey investiu US$ 100 mil no negócio e ficou com 51% de participação acionária na nova empresa. A expectativa é que a Alfaiataria registre faturamento de R$ 8 milhões no primeiro ano de atuação.

A agência já tem contratos com a cervejaria Miller - para desenvolvimento de trabalhos ao longo de 2003 - e com a Fuji Film. Além disso, a Alfaiataria está participando de oito concorrências cujos resultados devem ser anunciados nas próximas semanas. A expectativa é formatar contratos  semelhantes aos feitos com agências de publicidade, no lugar dos chamados “jobs”. “Acreditamos que, com o tempo, o setor de marketing promocional também passe a ter contas”, disse Lucinda Failde, sócia  e diretora de produções da nova agência.

Além do trabalho tradicional do segmento,  a agência pretende atuar dentro de três segmentos que, segundo os sócios, ainda não estão dentro do portfólio das demais empresas do setor: design de embalagens, desenvolvimento de marcas e o “DNA” da marca, o que o sócio Adriano Pires de Carvalho chama de trabalhar com a personalidade da marca.

Apesar da agência só ter sido apresentada ao mercado ontem, o trabalho começou há cerca de um mês. As negociações começaram em julho. “Quando vimos o formato deles, ficamos interessados”, disse o vice-presidente executivo da Grey Brasil, José Chicau. A Grey estava há cerca de um ano e meio procurando uma parceria para atuar com marketing promocional no mercado brasileiro.

De acordo com o CEO do Grey Global, Eduardo Arrocha, inicialmente a Alfaiataria vai atender apenas o mercado brasileiro. “Não posso dizer como estará nosso mercado dentro de quatro ou cinco anos.  Ã medida em que a nossa demanda mude, o nosso negócio vai se adequar”, disse. Hoje o Grey atua com marketing promocional em 30 países, 11 deles na América Latina.

A Grey WorldWide pretende começar a atuar no mercado  brasileiro de Relações Públicas a partir de 2003. Para tanto, a companhia norte-americana  está procurando uma parceira no País para o seu braço no setor, a GCI. Depois de lançamento do seu braço de marketing promocional no Brasil uma empresa de Relações Públicas será a sexta do grupo no País.  

A meta da companhia é registrar faturamento de R$ 200 milhões no País em 2003, cerca de 10% a mais do que o previsto para este ano. A expectativa do vice-presidente da Grey Brasil, José Chicau, é que o setor acompanhe o discurso otimista do novo governo. Para este ano, a previsão é registrar faturamento de R$ 180 milhões, mesmo valor verificado no ano passado. “Estou  nesse negócio há 25 anos. Nunca vi um ano ruim como este”, acrescentou Chicau.  

O Grey Global Group é um conglomerado de empresas de comunicação e está presente em 90 países. Além da G2, de promoção e eventos, e da GCI, o grupo controla a Grey WorldWide (propaganda) e a Grey HealthCare (health-care marketing), entre outras.

Fonte: Jornal Gazeta Mercantil, Seção Mídia & Marketing - pg.C-8, 0312/2002, por Clara Barufi, do Panorama Setorial.