TRILHAS DA CULTURA – CIRCUITO BELGO

Empresa

Fundação Belgo Mineira

Profissional Responsável

Elisane Gressi

Ano da Premiação

2002

 

Por meio dos projetos da Fundação Belgo-Mineira, o Grupo Belgo  integra seus públicos, exerce seus compromissos institucionais e fortalece parcerias responsáveis pelo desenvolvimento auto-sustentável das comunidades onde suas empresas estão inseridas.

Criada em l988 para desenvolver projetos na área cultural, a Fundação Belgo-Mineira foi reestruturada a partir de l999, com o propósito de ampliar sua atuação para a área social, em sintonia com as grandes discussões contemporâneas sobre cidadania e as exigências mercadológicas e éticas. A Fundação trabalha sempre com a identificação das demandas e dos ativos sociais nas comunidades de atuação do grupo para desenvolver – justamente com outros parceiros locais – projetos sociais para atende-las, além de definir com clareza os meios e lugares através dos quais os públicos serão contados.

 

O foco principal das ações da Fundação Belgo-Mineira são as crianças e o adolescente, beneficiados por 75% dos projetos desenvolvidos pela entidade nas áreas de cultura, educação e meio ambiente. O Projeto Trilhas da Cultura-Circuito Belgo, realizado nas 11 cidades e 24 escolas públicas, em três estados brasileiros, busca transformar atitudes e valores nesses locais e atua como instrumento de integração do Grupo Belgo com estas comunidades, que são parte do grupo principal de seus stakeholders, ao lado do mercado, da imprensa e do governo, dentro de uma nova postura de relacionamento, baseada na ética, no respeito e na transparência. Com toda ferramenta de comunicação, o Projeto exige o planejamento, implementação e avaliação das ações, com definição clara de público, objetivo e metas a serem alcançadas.  Visto sob esta perspectiva, os espetáculos artísticos e demais iniciativas do Trilhas da Cultura possuem um diferencial decisivo: são uma ferramenta de comunicação e de promoção social extremamente prazerosa para os públicos beneficiados, como demonstram os depoimentos colhidos.

 

O Projeto foi criado foi criado em 2000 para ser uma ação cultural de caráter educativo e de entretenimento permanente, com intuito de possibilitar a essas comunidades, onde também residem os empregados do Grupo Belgo e seus familiares, o acesso gratuito às mais diversas manifestações artísticas.  Os Trilhas investe na difusão de musica, teatro, dança, arte circenses e outros meios de expressão da cultura em João Monlevade, Juiz de Fora, Santos Dumont, Sabará, Vespasiano, Itaúna, Contagem, Bom Despanho, Santos Dumont e Martinho Campos, em Minas Gerais; Piraciaba, em São Paulo; e Cariacica, no Espírito Santo.

 

O Trilha da Cultura agrega também aos projetos de educação, saúde e meio ambiente desenvolvidos pela Fundação Belgo-Mineira nessas mesmas comunidades; estimula a criação de parcerias para qualificar e ampliar as ações culturais; e fomenta a economia local, através de consumo de bens e serviços e da geração de empregos. Em 2002, o projeto incorporou em sua agenda atividades culturais para as escolas beneficiadas pelo Programa Ensino de Qualidade(PEQ), da Fundação Belgo-Mineira. A programação é composta por eventos específicos, concebidos para complementar as atividades do PEQ nas áreas de gestão escolar, saúde e meio ambiente, construindo um espaço democrático no qual alunos e professores t~em a oportunidade de reconstruir a sua realidade através da expressão artística.

 

Desde que o Trilhas da Cultura foi implantado(em outubro de 2000) até agosto de 2002, foram realizados cerca de 500 espetáculos, reunindo 53 grupos diferentes e 371 artistas, prestigiados por cerca de 160 mil pessoas. Em 2002, a programação mensal em cada localidade foi ampliada de dois para três eventos e incluídos mais dois municípios. São 270 espetáculos ao público(em 2001 foram 225), 384 nas escolas (260 no ano passado), além de 12 oficinas para professores e 48 oficinas para os alunos. A previsão de investimentos em 2002 é de R$ 2.531.478,00. Desde outubro de 2000, mais de 1.200 postos de trabalho temporários já foram gerados.

 

A Fundação Belgo-Mineira tem a orientação de executar suas ações de modo a respeitar os conceitos de individualidade dos cidadãos e, ao mesmo tempo, possibilitar  um sentimento de ligação aos grupos sociais, através da cultura e da educação – fontes permanentes de progresso e criatividade e que produzem conhecimentos e saberes necessários à formação da cidadania de um povo. O grupo Belgo busca, assim, “integrar de fato a organização e a sociedade e contribuir para que a empresa seja um organismo socialmente responsável, uma empresa-cidadã”.

 

Ciente de que, para harmonizar interesses do Grupo Belgo e de seus públicos, é preciso uma sistematização da comunicação, por meio de instrumentos apropriados e de integração das atividades comunicacionais, a Fundação inclui no planejamento do Trilha em criterioso diagnostico cultura envolvendo diversos segmentos das comunidades contempladas. O diagnostico ofereceu informações quantitativas sobre espaços e grupos culturais e projetos existentes, a política cultural dos municípios e as expectativas dos públicos em relação à atuação das empresas Belgo. O resultado apontou para uma produção cultural deficiente, aliada à falta de interesse e de presença do Público e à inadequação de espaços para a realização de eventos culturais. O levantamento indicou também uma forte demanda por iniciativas culturais sistematizadas e de longo prazo, e a dificuldade e falta de profissionalização dos realizadores locais, impossibilitando a captação de recursos.

 

A partir do diagnostico, foi elaborado um relatório com análise quantitativa e qualitativa dos resultados e a identificação dos aspectos favoráveis e críticos a serem levados em conta no planejamento do Projeto, estruturado de forma a responder não somente à política e diretrizes das empresas mas, principalmente, ás necessidades e expectativas das comunidades. Fruto deste processo, o Projeto Trilhas da Cultura-Circuito Belgo está orientado para oferecer, além de lazer e entretenimento, possibilidades de profissionalização do setor cultural e de articulação dos artistas, fortalecendo a produção artística local.

 

Para avaliar constantemente suas atitudes e alterá-las quando necessário, a Fundação Belgo-Mineira inclui na metodologia do projeto vários mecanismos permanentes de avaliação: levantamento quantitativo(relatórios com número de eventos realizados, público presente, fotos e o retorno de mídias espontânea), e pesquisa qualitativa(depoimentos do público presente nos eventos, questionários e entrevistas com artistas e parceiros envolvidos).

 

Assim a Fundação busca manter um equilíbrio entre interesses organizacionais e sociais e adequar os objetivos às metas do grupo e às expectativas da sociedade, seguindo uma visão estratégica de futuro. Por meio de esforços conjugados, continuidade, pesquisa e planejamento, o Grupo Belgo tem exercício papel como formado de opinião pública, promovendo a participação e incitando as pessoas ao diálogo.

   Fonte: Publicação distribuida pelo CONRERP/2a Região, no dia da Premiação na Assembléia Legislativa do Estado de S. Paulo. Dia Nacional das Relaçoes Públicas, 2 de dezembro de 2002 .