Informativo Rebouças Ano IX No 52 - Novembro/Dezembro 2001
Publicação  Bimensal do Centro de Convenções Rebouças
www.hcnet.usp.br/ccr


DIA NACIONAL DAS RELAÇÕES PÚBLICAS

2 DE DEZEMBRO

Lei Nº 7.197, de 14 de junho de l985 Institui o “O Dia Nacional das Relações Públicas

Faço saber que o Congresso Nacional decretou, o Presidente da República nos termos do 2º do art. 59, da Constituição Federal, sancionou, e eu, Lomanto Júnior, 1º Vice-Presidente do Senado Federal, no exercício da Presidência, nos termos do 5º do art. 59 da Constituição Federal, promulgo a seguinte Lei:

Artigo 1º – Fica instituído o dia dois de dezembro como o “Dia Nacional das Relações Públicas”.

Artigo 2º – Na data estabelecida no artigo anterior, as associações e entidades ligadas à atividade de Relações Públicas farão, em todo o País, promoções que de qualquer modo assinalem e festejem o transcurso da efeméride.

Artigo 3º - É declarado Patrono das Relações Públicas, Eduardo Pinheiro Lobo, nascido em Penedo, Estado de Alagoas, em l876, e falecido em São Paulo, a 15 de fevereiro de l933.

Artigo 4º - Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação.

Artigo 5º - Revogam-se as disposições em contrário.

SENADOR LOMANTO JÚNIOR
1º Vice-Presidente, no exercício da Presidência.

Por que 2 de Dezembro é o “Dia Nacional das Relações Públicas?’’

Em 2 de dezembro de l876, nasceu em Penedo, Estado de Alagoas, Eduardo Pinheiro Lobo, que foi o primeiro profissional de Relações Públicas no Brasil.

O marco inicial das Relações Públicas no Brasil aconteceu em São Paulo em 30 de janeiro de l914. Eduardo Pinheiro Lobo foi nomeado para chefiar o recém criado Departamento de Relações Públicas da empresa canadense THE SÃO PAULO TRAMWAY LIGHT AND POWER Co. LIMITED, concessionária da iluminação pública e do transporte coletivo na capital paulista. Na ocasião a direção da Light, sentindo a necessidade de um setor especializado para cuidar do seu relacionamento com os órgãos da imprensa e com os poderes concedentes, desenvolveu um trabalho de Relações Públicas com a imprensa, objetivando o esclarecimento da opinião pública.

Em reunião de 12 de dezembro de l975, o Conselho Nacional da ABRP instituiu a “Medalha Eduardo Pinheiro Lobo” destinada a premiar as pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham prestado relevantes serviços à classe dos profissionais de Relações Públicas. As pessoas agraciadas com a Medalha são os senhores Jarbas Passarinho, Divaldo Suruagy, Natalino Pereira de Souza, Domingos de Araújo da Cunha Gonçalves e Cândido Teobaldo de Souza Andrade.


2 de Dezembro - Dia Nacional de Relações Públicas

Profissionais conquistam espaço e respeito

Anna Telma Wainstok*

O campo de ação das Relações Públicas envolve todos os aspectos do comportamento individual ou institucional que tenham significado social. Vivemos um momento de grande valorização das Relações Públicas. As instituições e as empresas, seus dirigentes e gestores, cada vez mais compreendem e valorizam a necessidade de traçarem estratégias – a partir de seus planejamentos – para suas organizações se relacionarem, de forma adequada, com os inúmeros públicos que têm impacto nas suas atividades e nos seus negócios. Mesmo que muitas vezes esses empresários e gestores não dêem a essa necessidade fundamental o nome de Relações Públicas, podemos dizer que as digitais dessa ferramenta e as estratégias de Relações Públicas continuam proporcionando crescimento constante das instituições e segmentos sociais que as exercitam.

Todos buscam programas de comunicação para atingir seus inúmeros objetivos, entre eles a qualidade total, a re-engenharia, a implantação de novos métodos de gestão e novas tecnologias, além do comprometimento, quando não o consentimento, de públicos sem os quais as intenções e as organizações e seus dirigentes não conseguiriam chegar a lugar nenhum.

Em linguagem muito simples, podemos dizer que vivemos num momento histórico em que as instituições e as empresas estão literalmente cercadas por públicos com renovado poder político-social.

Manifestações disso são a atuação das ONGs, da dona-de-casa, do cidadão que protesta nos meios de comunicação e assim por diante. Ou seja, nesse mar de públicos, existe a necessidade profissional e estratégica do arsenal teórico e histórico que se chama Relações Públicas. Que organização empresarial ou instituição atuando em uma sociedade como a brasileira, a um só tempo complexa e dinâmica, pode prescindir de nortear suas ações institucionais a atividades de negócios a partir de um modelo de comunicação como Relações Públicas. A rigor, nenhuma; a não ser que estejamos tratando de organização descompromissada com o ambiente onde atua, propensa, como prática de ação e, por isso, fadada ao desaparecimento. Nesse cenário em constante mutação é inadmissível, portanto, a opção pelo vôo cego, sem plano e sem radar.

O momento requer um planejamento estratégico que detecte os públicos com impacto nos negócios e nas atividades; que determine as mídias adequadas para se chegar a esses públicos; e que também sinalize – para que se evite jogar dinheiro e energia pela janela – a integração das inúmeras ferramentas de comunicação – RR.PP. – de uma organização ou instituição.

Inúmeros são os profissionais de RR.PP. que conquistaram o respeito junto às empresas e instituições, por suas qualidades éticas e sólida formação cultural e profissional, além de seus espíritos voltados a uma sociedade mais justa e solidária.

 

* Presidente da Federação Nacional

 dos Profissionais de Relações Públicas

O reconhecimento das Relações Públicas em alguns países:

Inglaterra – RR.PP. são o esforço deliberado, planificado e permanente para estabelecer e manter mútua compreensão entre uma organização e instituição e seu público.

Itália – As RR.PP. querem conhecer, por parte do público, até que ponto um serviço ou um produto, uma ação ou uma idéia são efetivamente úteis, ao mesmo tempo que pedem a indicação de um caminho a ser seguido, de modo a satisfazer o público permanente. Carlo Majello.

Bélgica – RR.PP. são o meio para preencher a profunda necessidade de renovação espiritual da humanidade, buscando solucionar a crise de nossa civilização contemporânea, resultante da falta de equilíbrio entre o progresso técnico e o moral. Esta idéia tem um longo caminho a percorrer antes de ser completamente aceita, dando assim às nossas empresas e instituições a quarta dimensão que elas requerem. F. Minoresco.

França – RR.PP. são, inicialmente, o conjunto de meios utilizados pela empresa para criar um clima de confiança junto ao seu pessoal, junto aos grupos com os quais se acham ligados e, comumente, junto ao público em geral, tendo em vista proteger sua atividade e favorecer seu desenvolvimento. Louis Salleron.

Brasil – RR.PP – é o esforço deliberado, planificado, coeso e contínuo da alta administração para estabelecer e manter uma compreensão mútua entre uma organização pública ou privada, assim como entre a organização e todos os grupos sociais aos quais está ligada, direta ou indiretamente. ABRP.

 

Fonte: Jornal da CNPL - Informativo da Confederação Nacional das Profissões Liberais,Ano VII - No 45, novembro/dezembro de 2001

   "Só DEUS pode dar a PAZ, mas VOCÊ,
    neste dia especial de Relações Públicas,
   pode contribuir, pode semear a UNIÃO".
   2 DE DEZEMBRO

   SINPRORP /  FENAPRORP
Sindicato dos Profissionais Liberais de Relações Públicas e Federação Nacional dos Profissionais de Relações Públicas.

02 de Dezembro de 2002

*******************************************************************

2 DE DEZEMBRO

DIA NACIONAL DAS RELAÇÕES PÚBLICAS

        Dia dedicado a homenagear os profissionais da área de Relações Públicas que têm como propósito a busca da competência e da excelência no relacionamento saudável e construtivo com os mais diversificados públicos, objetivando a harmonização de interesses.

                                                                 Cumprimentos do

                  Sindicato dos Profissionais de Relações Públicas São Paulo 

2004 

                   **********************************************************************


INDIGNAÇÃO

 

O Prof. Wagner Horta é comentarista do Programa Dia a Dia em Revista, da Rede Bandeirantes, apresentado pela jornalista Amália a Rodrigues. Dia 15 de Setembro de 1999, respondendo uma pergunta sem identificação, afirmou que o profissional de Relações Públicas são “fúteis”. Alunos terceiranistas do curso de Relações Públicas da UNESP, Bauru, protestaram e enviaram a mensagem abaixo que respondemos.

Ao Sindicato dos Profissionais Liberais de Relações Públicas

Nós, alunos do terceiro ano de Relações Públicas da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Bauru, gostaríamos de notificar aos integrantes do SINPRORP, os acontecimentos no programa Dia a Dia Revista, da rede Bandeirantes, que é transmitido de segunda a sexta – feira no horário das 8h30 às 10h e apresentado pela jornalista Amália Rocha.

No dia 15 de setembro de 1999, por volta de 8h40, o Profº Sr. Wagner Horta, que exerce o papel de comentarista no referido programa, em resposta a uma pergunta sem identificação sobre o porque da baixa procura pelo curso de Relações Públicas, declarou ser uma profissão realizada por um profissional de qualquer outra habilitação, dando a entender que o curso, bem como o profissional de Relações Públicas, são “fúteis” e desnecessários para o mercado de trabalho.

Indignados, em resposta às palavras do professor em questão, enviamos um fax para a redação do programa no dia 18 de setembro. Com essa, procuramos deixar registrada nossa reprovação diante dessa declaração. No entanto, a resposta dada no dia 20 de setembro, na nossa opinião, foi um deboche, visto que suas palavras e seus gestos, demonstraram um superficial conhecimento sobre a profissão. Na opinião do Profº Wagner Horta, os estudantes de relações públicas são um pessoal simpático, e assim devem acatar e respeitar a opinião do comentarista, pois é ele quem entende de mercado, tentando assim, finalizar a discussão e banalizando ainda mais a profissão.

Vale ainda ressaltar que, no dia 22 de setembro, no mesmo programa, o Sr Wagner Horta, desafiando mais uma vez as “Leis de Relações Públicas”, relatou que o curso que melhor habilita profissionais para planejar, coordenar e realizar eventos é o curso de Turismo, se “esquecendo” novamente da habilitação de Relações Públicas.

Conscientes da importância do SINPRORP em defesa da nossa profissão e também do poder de formação de opinião do Profº Wagner Horta, junto a vestibulandos, empresários, mídia, etc., solicitamos uma ação que seja pertinente a essa situação de desvalorização da imagem do profissional de Relações Públicas, e a tantas outras que possam vir a ocorrer caso nenhuma providência seja tomada.

Convém informar, que também já relatamos o ocorrido a ABRP e ao CONRERP, solicitando das mesmas que se juntem em defesa da nossa profissão.

Agradecemos a atenção e a colaboração do SINPRORP.

Atenciosamente, alunos e professores do 3° ano de Relações Públicas da UNESP, Bauru.


Correspondência do SINPRORP- Sindicato dos Profissionais Liberais de Relações Públicas no Estado de São Paulo ao Prof. Wagner Horta

São Paulo, 5 de Novembro de l999

PR 268/99

Ilmo. Prof. Wagner Horta

“TV Bandeirantes”

Programa Dia a Dia em Revista
Av Radiante, 13
05614-130 São Paulo, SP

 

Prezado Senhor

 

Relações Públicas: profissão universal e estratégica do mundo global.

 

O Sindicato dos Profissionais Liberais de Relações Públicas no Estado de São Paulo recebeu recentemente comunicação de que no programa Dia a Dia em Revista, da Apresentadora “Amalia Rocha”, o Prof. Wagner Horta teria menosprezado a profissão de Relações Públicas e desaconselhado aos jovens seguir essa carreira , segundo ele, em baixa. Na sua obrigação de defender a categoria e a atividade que representa, o SINPROPR comenta on line o acontecido.

 

O fato:

No dia 15 de setembro de 1999, no programa "Dia a Dia em Revista" da TV Bandeirantes, o professor Wagner Horta deu a entender que a atividade de Relações Públicas está em baixa, é uma atividade "fútil", desnecessária para o mercado de trabalho. Os alunos e professores do 3° ano de Relações Públicas da UNESP, em fax de 18 de setembro dirigido à TV Bandeirantes, registraram sua desaprovação à fala do professor. No dia 20, este voltou a menosprezar a atividade e pediu que os estudantes respeitassem a opinião do comentarista, pois ele é quem entende de mercado.

 

Comentário:

“Não é raro, na mídia brasileira, encontrarmos comentaristas que opinam sobre temas que não dominam, levando informações incorretas ao público.

É nessa linha que se colocam as afirmações do professor Wagner Horta. Sua manifestação na TV demonstrou que parece desconhecer a atividade de Relações Públicas, praticada no mundo inteiro, e apresentada pelos especialistas como atividade exponencial de regimes democráticos e como uma das mais promissoras profissões em um mundo em transformação.

Por seu caráter universal, estratégico e político, Relações Públicas reveste-se de importância essencial para as modernas organizações nos relacionamentos com os diversos segmentos de públicos dos quais dependem para a sua sobrevida no mercado e a realização de seus negócios.

./.

 

PR 268/99 2/2

As maiores organizações do mundo recorrem à atividade profissional de Relações Públicas para divulgar seus princípios operacionais e éticos de ação no mercado, suas políticas de pessoal, seu respeito pelos consumidores, pela lei, pela defesa da democracia, da comunidade e pela condenação das práticas ilegais e antiéticas de negócios.

As empresas do mundo globalizado sabem que o maior valor de que podem dispor junto à opinião pública é o seu conceito de empresas-cidadãs, éticas, respeitadores da lei, cumpridoras dos compromissos assumidos diante da sociedade da qual fazem parte. Para conseguirem ter essa credibilidade precisam contar com profissionais preparados, que conheçam profundamente as empresas, o mercado, o público, e as técnicas de relacionamento com cada um dos segmentos com o quais mantêm contato. Esse profissional é o Relações Públicas cuja atividade distingue-se objetivamente das demais habilitações da Comunicação Social, que, todas, agem no campo finito da mídia, enquanto Relações Públicas trabalha como atividade-base em defesa do que é permanente na organização.

Atua no planejamento global e estratégico da empresa, intimamente vinculada à determinação de sua missão, objetivos a curto, médio e longo prazos, estabelecendo estratégias que levem à consecução dos resultados esperados.

Exige, portanto, a atividade de Relações Públicas formação específica, multifuncional e multidisciplinar, com visão global do mundo dos negócios. O profissional que opera nessa área deve ser capaz de gerenciar o processo de comunicação e de relacionamentos das organizações com seus públicos, de ajudá-las a cumprir a lei e sua responsabilidade pública. Deve, também, pesquisar, trabalhar com os empregados, a comunidade, saber tratar os assuntos públicos e governamentais, os consumidores, os ecologistas, o mundo financeiro, a promoção institucional, as relações com a imprensa, o uso correto da mídia – rádio, televisão, vídeos e filmes. Precisa ser perito na produção de textos, jornais, revistas, livros, dominar o cerimonial público e privado, saber fazer apresentações, eventos, relatórios anuais, e ainda exercer a atividade de lobby. Trata-se, portanto, de uma atividade que só pode ser exercida por profissionais bem formados de acordo com a Lei n° 5.377, de 11 de dezembro de 1967, regulamentada pelo Decreto N° 63.283, de 26 de setembro de 1968, e não apropriada e exercida por qualquer outro profissional da área de comunicação como quer o comentarista afoito e despreparado.”

Atenciosamente,

Ronaldo Fernandes Canedo
Presidente

CC.:Presidente TV
-Amália Rocha
-Sindicato Jornalistas
-Sindicato Professores


VESTIBULAR NA FUVEST

A FUVEST registra o aumento de candidatos na capital e a redução no interior, revertendo a tendência dos últimos vestibulares. O número de inscritos este ano foi recorde: 149.240 candidatos.

As provas da primeira fase serão realizadas em dois domingos. No dia 21 de novembro de l999, os candidatos farão os exames de: Português, Inglês, Física e de Química. No dia 05 de dezembro, serão feitas as provas de Geografia, História, Biologia e Matemática. A relação dos locais de exame será divulgada no dia 11 de novembro de l999. Relações Públicas foi a sétima carreira mais procurada com 37,4 candidatos por vaga.

O Estado de S. Paulo, domingo, 31 de outubro de l999, pagina 11A – Educação


PUBLICAÇÕES RECEBIDAS DAS FACULDADES

Informativo Rebouças Ano IX - No 53 Março/Abril de 2002

Informe RRPP Nordeste - Ano 1 No 03 - Recife - Novembro de 2001

Informativo ABRH - DF Ano V - No 45 - novembro/dezembro de 2000

Revista Agitação - Ano VI - No. 36 nov/dez de 2000 - Publicação do CIEE Nacional

Informativo Rebouças Ano VIII No 47 - Setembro/Outubro de 2000
Publicação Bimensal do Centro de Convenções Rebouças
www.hcnet.usp.br/ccr

RP Alternativo - Ano 6  No  12  2o Semestre/98 - House Organ-laboratorio da Disciplina de Redação em Relações Públicas II - UFMA

RP Alternativo - Ano 7 No.  13 1o Semestre/99 - House Organ- laboratório da Disciplina de Redação em Relações Públicas II - UFMA

RP Alternativo - Ano 7 No  14  2o Semestre/99 - House Organ-laboratorio da Disciplina de Redação em Relações Públicas II - UFMA

Informativo Rebouças - Ano VIII - No 36 - Julho/Agosto de 2000 - do Centro de Convenções Rebouças   www.hcnet.usp.br/ccr

Espaço - Jornal da Área de Relações Públicas - CECA/UEL - Ano 12 No. 130 1o Semestre 2000 recebido em 25.08.2000

Educação - Ano 27 No. 232 Agosto 2000/Editora Segmento Ltda./25.08.2000

CNPL - Informativo da Confederação Nacional das Profissões Liberais  Ano VII no38 Julho/Agosto - 25.08.2000

Ares de Pompéia – Ano 1 Nº 1 – Santos, outubro de l999
Universidade Católica de Santos – UniSantos – www.unisantos.com.br

Informativo Rebouças - Publicação Bimestral do Centro de Convenções Rebouças, Ano VIII No. 43 novembro/dezembro de 99.

Ação, Ano 1 No 1 Setembro 99. Órgão Laboratorial da Coordenadoria de Relações Públicas da Faculdade de Comunicaçao Social "Casper Libero".

Gestão Plus Ano II no 12 - Janeiro/Fevereiro 2000
Publicação de Administração de Negócios, Finanças, Marketing, Recursos Humanos e Carreiras  www.gestaoerh.com.br

Informativo Rebouças Ano VIII - No 44 Março de 2000
 Unicsul - A Escolha Certa
 Educação - da Editora Segmento-Ano 26 No 228 - Abril de 2000

Revista Agitação Ano VI - No. 31 Jan/Fev de 2000 - Publicação do CIEE Nacional

Merco Notícias - Informativo do Fórum de Mulheres do Mercosul - Capítulo Brasil - Belo Hozonte - Abril de 2000 - Ano I no 2 Home Page: www.netpage.com.br/forum


CONGRESSO BRASILEIRO DE RELAÇÕES PÚBLICAS

A Associação Brasileira de Relações Públicas do Distrito Federal organizará o próximo Congresso Brasileiro de Relações Públicas, que deverá ocorrer no segundo semestre do ano 2001, em Brasília. A temática do encontro ainda está sendo definida pela comissão executiva, que tem na sua presidência o profissional Antônio Carlos Lago, do Ibama.


JORNAL BRASILEIRO DE RELAÇÕES PÚBLICAS

Colegas, 
Estou enviando o Jornal Brasileiro de Relações Públicas editado por Relações Públicas, com várias notícias sobre a profissão e indicações de livros e sites.
Aproveito para enviar mais quatro informações, além das que já estão no Jornal.

1. A primeira é sobre um novo curso, o de "Comunicação Institucional e Relações Públicas" que começou agora em agosto, no IESB - Instituto de Educação Superior de Brasília: um projeto meu e do Prof. João José Curvello, da Universidade Católica de Brasília. A grade curricular já foi construída dentro dos horizontes das novas Diretrizes Curriculares, com disciplinas que abrangem o conjunto de saberes necessários atualmente para o desempenho profissional das Relações Públicas. A situação atual do mercado de trabalho foi uma preocupação constante e por isso consideramos, para a elaboração do currículo, o perfil profissional do assessor ou consultor de comunicação, atividade que vem absorvendo a maior parte dos profissionais formados em Comunicação Social, sobretudo no Distrito Federal.

2. Começa no dia 5 e vai até o dia 09 de setembro o INTERCOM 99 - XXII Congresso Brasileiro de Ciência da Comunicação que vai acontecer na Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro. Estamos participando, eu e João José Curvello, com o projeto do Curso de Comunicação Institucional e Relações Públicas que foi enviado para o GT de Ensino de Comunicação e deverá ser apresentado no dia 08 de setembro. O site da Intercom é: www.intercom.org.br. Aliás, o site do Curvello, chamado Ação Comunicativa, deve ser visitado pelos colegas que desejam informações e orientações sobre Comunicação Institucional, e o endereço é: http://curvello.cjb.net

3. Sites novos. 
a) O Sindicato dos Profissionais de Relações Públicas de São Paulo está com um site no endereço: http://www.sinprorp.org.br e o coordenador do site é Wilson Soares. 
b) O CONRERP/RSSC também tem um site interessante no endereço www.conrerprssc.org.br Lá podem ser obtidas informações sobre o 3º Fórum Íbero-Americano de Relações Públicas. No Jornal que estamos enviando abaixo, nossa colega Andréia Athayde, Presidente daquele CONRERP, também manda informações sobre o Fórum. 
c) Outro site onde se pode obter informações sobre RP é o do colega Rodrigo Cogo no endereço: http://www.sm.conex.com.br/mundo-RP

4. A Resenha da Dissertação de Mestrado da RP Graça Attuch, sobre a EMBRAPA, "A Construção da Ciência pela Comunicação" acaba de ser publicada na Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, volume XXII, n1, jan.junh 1999. A autora da resenha sou eu que dessa vez consegui que saísse com o nome do CONRERP/DF.

Um abraço a todos

Elizabeth Brandão 
Presidente do CONRERP/DF 
Fone/Fax: (61) 223 73 73 
pazitob@tba.com.br
 
Fax: (061) 273 6543 (res)


DIRETRIZES CURRICULARES

Recebemos do CONRERP/DF o texto final das Diretrizes Curriculares para a área de Comunicação Social, um documento importante para as Universidades, Faculdades e Professores da área, que foi entregue em 20 de Julho de l999 oficialmente ao Ministério da Educação e Cultura pela Professora Sidinéia Gomes Freitas, Presidente do CONFERP. Leia o texto no título CENTRO DE ESTUDOS.