Agência de Relações Públicas Unidade Experimental

Curso de Relações Públicas - Universidade Metodista de São Paulo
Ano II - Número 24   28 de setembro de 2001

 

Relações Paralelas

Campanha "RELAÇÕES PARALELAS"   abre debate sobre conquista do mercado de trabalho

 

Iniciada no I Semestre deste ano, a Campanha "Relações Paralelas" foi retomada neste II Semestre, tendo como tema o mercado de trabalho. O objetivo principal da Campanha é revitalizar a atividade de Relações Públicas junto aos alunos da Umesp e fora da universidade.

Dois eventos já foram realizados, um no dia 18 e outro no dia 27 de setembro. O primeiro abordou "Empreendedorismo: o profissional de Relações Públicas como gerador de negócios". O debatedor deste assunto foi o professor Marcus Antônio Picon, da Faculdade de Administração da Umesp. Deixou claro para sua jovem audiência que o empreendedorismo representa um caminho para o sucesso.

"Processos de Seleção: o que são, como funcionam" foi o tema apresentado pelo Consultor de Empresas Ulisses Crepaldi, da Catho Consultores de Recursos Humanos. Por mais de duas horas, em animado programa do tipo "Roda Viva", debateu com os estudantes as mais variadas formas de abordagem do mercado de trabalho: apresentação, elaboração de curriculum vitae, oportunidades, especialistas versus generalistas, marketing pessoal e diversos outros temas afins. Foi grande a participação dos alunos de Relações Públicas, julgando a maioria que debates deste tipo contribuem de forma positiva para se conhecer o mercado e para descobrir que há mais oportunidades para se trabalhar no mundo globalizado do que apenas as formas tradicionais de emprego.

 

Confira as próximas palestras:

20/10 - Campos de trabalho para o profissional de relações públicas - 9h às 12h

29/10 - Atuação do profissional de relações públicas no mercado de trabalho - 8h às 11h

08/11 - Relacionamento e desenvolvimento regional - 20h às 22h50


Será nos dias 18, 19 e 20 de outubro

 con + com

Feira e Debates de Comunicação

Confraternização, congraçamento, conexão, consenso, convivência, conjugação, conscientização. Comunicação, comunhão, comprometimento, compreensão.

O resultado de tantas idéias só pode ser con + com - o novo evento de Comunicação da Umesp, programado para os dias 18, 19 e 20 de outubro no Campus Rudge Ramos, São Bernardo do Campo.

O con + com irá movimentar os universitários dos cursos de Jornalismo e Relações Públicas, Rádio e TV, Publicidade e Propaganda e Comunicação Mercadológica.

O tema deste evento foi idealizado sob medida: "Comunicação e cidadania – um diálogo necessário".

Nesse momento em que há mobilização nacional em torno das questões da cidadania, é fundamental que as universidades se engajem na construção de nova mentalidade e de nova postura que estimulem o envolvimento dos jovens nas atividades sociais e na busca de maior diálogo com a comunidade.

Dessa forma, a Comunicação envereda-se pelo caminho privilegiado de debates sobre os grandes temas da atualidade e abre possibilidades para novas formas de expressão dentro da sociedade contemporânea.

Foi à luz desses pensamentos que os cinco cursos de comunicação da Universidade Metodista se reuniram, em esforço conjunto, para promover oficinas, exposições, palestras e atividades culturais, de modo que os alunos da área de comunicação da Metodista e de outras instituições de ensino superior possam participar dos eventos programados em verdadeiro clima de cidadania, confraternização e comprometimento - ideais resumidos na sigla con + com.

(Texto produzido a partir do programa   con + com. Ver programação do evento na página 2).

Informações: www.metodista.br e e-mail conmaiscom@metodista.br ou pelo telefone: (11) 4366-5923.

 

página 2

 

Oficinas con + com

Dia 19/10 - manhã

- O desafio de estar frente ao público                             José Emílio Laporta (Clap Consultoria)

- Responsabilidade social    Lívio Giosa (ADVB)

- Marketing pessoal         Rubens Marchioni (Umesp)

- Pesquisa em Relações Públicas                                 Ebe Gimenez (Target)

- Negociação e elaboração de proj. de capt. de recursos para terceiro setor           Carlos Macedo (Instituto Sócio-Ambiental)

- Produção de textos para audiovisual: teoria e prática de roteiro                           Paulo Schettine

Dia 19/10 - noite

- Media training*                 Laís Guarizzi (Gaspar & Associados)

- As estratégias de RP no setor farmacêutico          Sandra Castellano (Laboratório Pfizer Ltda.)

- Como orçar eficazmente um  programa de RP*                                  Roberto Constante (Edelman)

- Desafio de estar frente ao público                                     José Emílio Laporta (Clap Consultoria)

- A gestão da mudança organizacional como vantagem competitiva*                         André Soler (Accetunre)

- Cerimonial público             Renata Aranha (Assoc. Profis. de Cerimonial do Grande ABC)

- Como abrir seu próprio negócio                                 Rosana Monteiro (Estratégia/ Ketchum)

Dia 20/10 - manhã

Oficinas

- A importância do protocolo e do cerimonial na organização do evento                                 Gilda Meirelles (Ibradep)

Palestras

- Projeto Relações Paralelas:

Campos de trabalho em RP - Flávio Valsani (LVBA)

Painel - Tarde

- Responsabilidade social nas empresas

Hélio Perini (Ford), Peter Nadas(Fildes), Vanessa Weber (BASF), Deise Luppi (De Nadai Alimentação), Orjä Olsen           (Indicador Opinião Pùblica)     

 

* Estas oficinas serão realizadas também no dia 20/10 de manhã.

 

página 3

 

E se aprendêssemos português?

Os profissionais de Recursos Humanos criaram o mito de que para se conseguir trabalho é preciso titulação de MBA,de mestre, de doutor... ter conhecimento de línguas estrangeiras, de informática... ser empreendedor, alegre, magro, além de outras exigências. Só que, na hora da contratação, a função está aquém de tantas qualificações, e o salário não é compatível com o rol de preciosismos. No fundo, trata-se de um modismo e de mais uma forma de exclusão social, como se os não dotados de predicados tão excelentes estivessem condenados ao eterno desemprego...

Enquanto se apela ao conhecimento de inglês, espanhol e até de outros idiomas (chinês, a língua comercial do futuro), ninguém se lembra de que fundamental para o cidadão é conhecer a língua pátria com perfeição. Por isso é que, muitas vezes, profissionais, mestres e doutores, apresentam-se em público arranhando a  língua pátria. São falas incorretas, textos mal redigidos, que revelam desconhecimento das regras básicas de gramática.

E na mídia acontece o mesmo fenômeno. Nos noticiários e nos programas de rádio e TV, ouve-se diariamente locutores falando abobrinhas do tipo lapíde (por lápide), algóz (por algôz), bódas (por bôdas), récorde (por recórde - por acaso alguém fala vérmute?), perdeu a direção do veículo (por perdeu o controle do veículo), a cônsul (seria a geladeira? - por consulesa), houveram muitos golpes (por houve muitos golpes), se ele mantesse (por se ele mantivesse) e assim por diante ou et ita porro, como se diz em latim.

Ao lado dos locutores, alinham-se os políticos com suas expressões esdrúxulas, palavras inventadas (imexível) e seus famosos houveram, fazem muitos anos, há muitos anos atrás, a nível nacional. Parece até que perceberam seus erros. Há leis e projetos de lei que querem obrigar o povo a falar corretamente, sob pena de multa! É a velha mania brasileira de escamotear os problemas, tentando resolvê-los por decreto e pela aplicação de penas, como no apagão.

E os profissionais de Relações Públicas, como fazem uso da língua portuguesa? Como redigem? Como falam? Como se apresentam, discursam? Não raro os vemos tropeçando também no uso do vernáculo, por exemplo, eles entraram depois de ter abrido a porta...

É inacreditável que, depois de quatro anos de estudo da "Língua Portuguesa", boa parte dos universitários deixem a faculdade ignorando o próprio idioma. E o mercado quer vê-los dominando o uso de línguas estrangeiras. E por que não peritos em língua portuguesa?

Diante de tanta calamidade, fica a pergunta: E se aprendêssemos português?

 

Assine o Canal                            Críticas/Sugestões

Expediente 
O Canal RP: informativo eletrônico quinzenal produzido pelo Núcleo de Produtos e Instrumentos de Comunicação da Agência de Relações Públicas Unidade Experimental da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Seu objetivo é divulgar e promover a atividade profissional, tendo como referencial a qualidade Umesp e seu curso de Relações Públicas

Equipe de Produção

Editor: Professor Ms. Fábio França (MTB1880)
Revisão: Professora Débora Marie Tamayose
Web Designer: Mara Oliveira Martine 
Equipe de Redação: Mara Oliveira Martine, Mariana de Marco Geraldine e MichelleYendis
Coordenador do Núcleo de Produtos: Prof. Ms. Fábio França CONRERP SP/PR-586

FACULDADE DE JORNALISMO E RELAÇÕES PÚBLICAS
Diretora e Coordenadora do curso de Relações Públicas: Profª. Drª. Maria Aparecida Ferrari

E-mail: agenciarp@metodista.br
E-mail: canalrp@metodista.br