Agência de Relações Públicas Unidade Experimental    

Curso de Relações Públicas - Universidade Metodista de São Paulo
Ano II - Número 30   19 de dezembro de 2001

 

BOAS FESTAS 

 j0230618.wmf (13590 bytes)

Aos leitores do CANAL RP, que nos apoiaram e contribuíram com críticas e sugestões para o sucesso deste boletim em 2001, votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo.

Nossa expectativa para 2002 é de que os relações-públicas continuem a praticar o diálogo como a melhor forma de entendimento entre pessoas e organizações e, igualmente, empreguem técnicas de efetivo relacionamento para promover a democracia, a liberdade, a cidadania e a paz. Boas Festas!

 

Troféu de Responsabilidade Escolar

Social é da Metodista

 

O Lar Ebenézer e o Lar Monte Gerizim, entidades que contam com a ajuda de colégios e universidades para dar assistência a crianças carentes na região do ABC, concederam à Universidade Metodista de São Paulo o Troféu de Responsabilidade Escolar Social (REES), que é patrocinado pelo Grupo Wall Mart, de Santo André.

Em 2001, a Metodista acompanhou as atividades das duas instituições beneficentes e contribuiu com, aproximadamente, 400 quilos de alimentos. A coordenadora da Pastoral Universitária Genilma Boehler afirmou que é importante ganhar um prêmio como o Troféu REES, pois isso significa reconhecimento ao trabalho da Metodista em projetos de ética e cidadania. (Mural Metodista, 14 dezembro).

 

Vestibular Metodista 2002 tem 7.949

candidatos inscritos

 

O Vestibular 2002, da Universidade Metodista de São Paulo, realizado no último dia 9, contou com a participação de 7.949 candidatos inscritos, concorrendo a 4.040 vagas, disponíveis para todos os cursos oferecidos pela universidade.

Na área de Comunicação Social, foram abertas 1.120 vagas, distribuídas entre os cursos de Jornalismo (manhã, tarde e noite), Comunicação Mercadológica (manhã e noite), Relações Públicas (noite), Publicidade e Propaganda (tarde e noite), Turismo (manhã e noite) e Rádio e TV (manhã, tarde e noite).

O curso de Relações Públicas, em particular, contou com 188 inscrições para 80 vagas, no período noturno, com relação candidatos/vaga de 2,29. Para o período matutino do curso, o vestibular só é oferecido no II semestre.

O grande número de candidatos ao vestibular da Metodista confirma a qualidade do ensino ministrado nesta Universidade e confirma sua posição no ranking das melhores instituições superiores do país.

Mariana Geraldine

 

Até fevereiro de 2002

 

Esta edição encerra as atividades do CANAL RP em 2001. Nossa próxima edição estará disponível na Internet a partir do dia 8 de fevereiro de 2002. Esperamos de nossos leitores críticas sobre o trabalho realizado e sugestões que contribuam para aperfeiçoar este boletim virtual.

A Redação.

 

página 2

 

Papai Noel Relações-Públicas?

 

É comum a usurpação do título de relações-públicas por gente que nem sequer pode imaginar o sentido desta atividade, como, por exemplo, porteiros de hotéis, de casas de espetáculos, recepcionistas... E Papai Noel não mereceria receber tal homenagem?

Do Pólo Norte, onde surgiu e se esconde, todo fim de ano Papai Noel desperta em seu esconderijo, sacode a neve acumulada durante o ano, enfia em seus velhos pés botas bem aquecidas e sai mundo afora em trenó puxado por esbeltas renas. Seu objetivo: levar alegria às crianças – seu público-alvo.

Mas, como num passe de mágica, Papai Noel estende sua ação a todo tipo de negócio e movimenta meio mundo de sedução, presentes, luzes e cores. Nada melhor do que um fim de ano iluminado pela presença de bom velhinho. Se Papai Noel é tão dinâmico, se desperta tanta movimentação no mercado mundial, nas lojas, nas famílias, nas ruas engalanadas e repletas de desenhos luminosos e coloridos, não poderia ser chamado relações-públicas?

Há controvérsia, diria o aluno da escolinha do professor Raimundo. Você acredita em Papai Noel? Se não existe, como pode exercer a nobre atividade de dialogar com os públicos? Aí reside o problema. Papai Noel, por acaso, conversa com alguém? Vejamos. Primeiro, é um "não vivente" isolado em seu chalé no meio de ciprestes com os galhos curvados pela neve. Sua comunicação é unilateral, apenas estimula o espírito de Natal, época em que aparece. Pode até ouvir muito, mas emudece nas respostas. Em segundo lugar, seu programa festivo é sazonal e monótono, surge somente em fim de ano e segue sempre o mesmo paradigma. Onde fica a criatividade necessária ao relações-públicas, a inovação, os projetos que geram resultados? E, afinal, deve-se reconhecer que Papai Noel não se modernizou, nem se adaptou aos novos tempos, usa único uniforme – faça frio ou faça sol; não aprendeu a trabalhar em equipe, continua no bloco do "Eu sozinho", e tem o mau hábito de entrar furtivamente nas residências pela chaminé. Onde está a transparência e a ética? Mas, em uma coisa é insuperável, o domínio da linguagem universal do ho, ho, ho...

Com este perfil exótico, Papai Noel não pode nem cismar em receber o título de relações-públicas, mesmo de forma ilegal como fazem os promotores de vendas e as recepcionistas de restaurantes chiques. Merece, porém, título grandiloqüente, consentâneo à retórica de sua imagem e ao brilho de suas cores – o de "promoter". Isso é o que ele é. Vem, faz barulho, vai embora e nada constrói para durar. Relações-públicas, jamais.

 

Qual o valor do brinde na comunicação?

 

 

O brinde faz parte das festas de fim de ano. Mas o que é o brinde e qual sua finalidade? Como os relações-públicas podem utilizar brindes como ferramenta de comunicação?

Há empresários que consideram o brinde detalhe supérfluo, o que contradiz o seu uso por milhares de empresas e o crescimento anual do mercado de brindes, cada vez mais utilizados como auxiliares da comunicação com os diferentes públicos da empresa.

O brinde melhora a relação empresa-cliente; brindar alguém é demonstrar sua importância, tornar personalizada a relação com a pessoa, é fixar na memória dados importantes que não devem ser esquecidos. Brindar o cliente é, portanto, estreitar os laços positivos da relação e, conseqüentemente, de negócios.

Oferecer brindes requer cuidado na escolha do tipo de mimo cedido pela empresa. Enquanto possível, o brinde deve refletir a marca da empresa, ter algo a ver com seus produtos, com o porte da empresa e atender ao interesse e ao gosto do cliente. Que tipo de brinde oferecer? Aqui se deve ater ao bom senso e à perspicácia, pois tanto brindes simples como sofisticados podem ser ótimos presentes. Além do contexto da relação empresa-cliente, que determinará o tipo e a qualidade do brinde, é preciso levar em conta que, diante da moderna tecnologia, muitos brindes tradicionais perderam a utilidade e não podem mais ser oferecidos sem desgaste para a empresa.

É dever do relações-públicas orientar a empresa na seleção de brindes e na determinação de sua distribuição estratégica, de modo a reforçar o bom relacionamento empresarial com os públicos de interesse da organização. Como instrumento concreto de comunicação, o brinde contribui de forma positiva para manter vivo o nome da empresa na mente de seus clientes e do mercado. Utilizá-lo de modo inteligente contribui para legitimar a empresa e fortalecer seu conceito junto aos públicos de interesse imediato.

 

Mara Martine

 

página 3

 

Esporte: campo aberto para Relações Públicas

 

Em recente número (nº26 – 26/10/01) deste boletim, apontou-se o esporte como novo campo de trabalho para os relações-públicas. O tema é hoje ilustrado por meio de entrevista concedida por uma profissional, que dedicou vários anos de trabalho ao meio esportivo e nos fala de sua experiência: a professora Isildinha Martins.

 

 O esporte vem abrindo espaço cada vez maior aos profissionais da comunicação. São centenas e centenas de jornalistas, locutores de TV, repórteres, redatores, editores e fotógrafos. E os relações-públicas que posição ocupam no esporte? Para que postos podem ser escalados?

Quem responde é a professora Isildinha Martins, entrevistada nesta edição pelos estagiários Leonardo Filoso e Guilherme Mendes, do Núcleo de Produtos e Instrumentos de Comunicação.

Isildinha é professora do curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo. É responsável pelo Núcleo de Eventos, ligado à Agência Experimental do curso.

Em sua entrevista, afirma que foi a primeira profissional de relações-públicas a se dedicar ao esporte. Conta também como foi seu início de carreira no Automóvel Clube Paulista, nos trabalhos desenvolvidos para a prefeitura de São Paulo e na sua atuação na Secretária de Esportes do Estado de São Paulo. Orgulha-se de suas atividades para empresas gerenciadoras de grandes pilotos, como Ayrton Senna, Maurício Gugelmin e Tony Kanaan, e dos demais trabalhos que desenvolveu em empresas organizadoras de eventos da Fórmula 1.

A entrevistada ressalta com orgulho que foi a primeira mulher a organizar rallies no Brasil. Seu maior sucesso nesta área ficou marcado por um feito extraordinário, de repercussão nacional e internacional, uma competição que reuniu, aproximadamente, quinhentos carros em uma única prova.

Mas não só de automobilismo entende a professora Isildinha. Faz questão de dizer que nenhum esporte escapa a seu olhar clínico, seja futebol, seja judô, seja hipismo seja até o jogo de peteca.

Até hoje Isildinha desenvolve trabalhos como consultora de relações-públicas em eventos esportivos. Ao ser indagada sobre o papel das relações públicas no esporte, respondeu com um alerta. "Pessoalmente, tive de batalhar muito, ultrapassar muitos obstáculos, para conquistar meu lugar." Para a jovem profissional que aspira trabalhar em setores esportivos, em que há inúmeras opções, lembra que precisará tornar-se excelente profissional, pois a mulher tem tido pouco espaço nessa área, principalmente na de maior destaque, que é o automobilismo. O mais importante, segundo Isildinha, é amar o esporte e dedicar-se com afinco ao trabalho. O campo esportivo só é acessível a bons competidores, determinados a vencer grandes desafios para conseguir notáveis vitórias, concluiu a professora Isildinha Martins, que dedica amor ímpar ao esporte.

 

 

Leonardo Filoso e Guilherme Mendes

 

Assine o Canal                            Críticas/Sugestões

Expediente 
O Canal RP: informativo eletrônico quinzenal produzido pelo Núcleo de Produtos e Instrumentos de Comunicação da Agência de Relações Públicas Unidade Experimental da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Seu objetivo é divulgar e promover a atividade profissional, tendo como referencial a qualidade Umesp e seu curso de Relações Públicas.

Equipe de Produção

Editor: Professor Ms. Fábio França (MTB1880)
Revisão: Professora Débora Marie Tamayose
Web Designer: Mara Oliveira Martine 
Equipe de Redação: Fernanda de Souza Santos, Guilherme Mendes, Leonardo Filoso, Mara Oliveira Martine, Marcello Ghigonetto, Mariana de Marco Geraldine e Michelle Yendis
Coordenador do Núcleo de Produtos: Prof. Ms. Fábio França CONRERP SP/PR-586


FACULDADE DE JORNALISMO E RELAÇÕES PÚBLICAS
Diretora e Coordenadora do curso de Relações Públicas: Profª. Drª. Maria Aparecida Ferrari


E-mail: agenciarp@metodista.br
E-mail: canalrp@metodista.br

Nova legislação sobre correio eletrônico Seção 301, parágrafo (a) (2) (c), Decreto S. 1618, Título Terceiro, aprovado pelo 105º Congresso Base das Normativas Internacionais sobre o SPAM.

Este e-mail não poderá ser considerado SPAM quando inclua uma forma de ser removido.

Se desejar deixar de receber o Canal RP, basta enviar um e-mail em branco a canalrp@metodista.br