Notícias

Tome nota destes eventos

Jornada: Nos dias 29, 30 e 31 de maio acontece na Metodista a 2ª Jornada de Iniciação Científica e o 5º Seminário de Extensão.

Vestibular: Abertas as inscrições para o Vestibular do 2º Semestre nos campi da Metodista até o dia 23 de junho; nos postos credenciados e via Internet até o dia 14 de junho. A prova será realizada no domingo, dia 29 de junho, das 14 às 18h. Ver: vestibular@metodista.br e www.metodista.br - Disque vestibular: (11) 4366-5555.

Congresso Relações Públicas: Aracaju/SE receberá nos dias 29, 30 e 31 de maio os participantes do XVII Congresso Brasileiro de Relações Públicas. Informações: www.conbrarp.infonet.br

Concurso Monografias: Está na hora da inscrição – até o fim da maio -- das Monografias e dos Projetos Experimentais do concurso da Associação Brasileira de Relações Públicas. Corra e inscreva-se. Informações: www.abrpsaopaulo.com.br. Telefone: (11) 3885-8619.

 

RP on line

Encontro “Interfaces da Comunicação”

O curso de Comunicação Social da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação – FAAC/UNESP/ Bauru, realiza nos dias 13, 14 e 15 de maio o Encontro Interfaces da Comunicação, no qual abre espaços também para as habilitações em Relações Públicas, Jornalismo e Rádio e Televisão. Estão em pauta questões relativas à natureza e às condições sócio-econômicas e culturais das interfaces da comunicação, bem como o papel das novas tecnologias nesse processo. Entre os conferencistas convidados, encontra-se a Dra. Maria Aparecida Ferrari, diretora da Faculdade de Jornalismo e Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo, que proferiu duas conferências: uma sob o título “O Relações Públicas e a Gestão Comunicacional”; outra sobre “O ensino de Relações Públicas e as interfaces da comunicação integrada”.

 

Marketing pessoal

Para se tornar vencedor, o estudante de Relações Públicas deve enfrentar muitos desafios
Diante de um mundo cada vez mais competitivo e de um mercado de trabalho seletivo, inclusive para estagiários, é preciso se destacar. Em qualquer carreira exige-se hoje habilidades específicas tais como: domínio de uma língua estrangeira, em especial do inglês e do espanhol e conhecimento avançado dos programas de computador.
Como preencher tantas expectativas? Como se diferenciar? O estudante de RP tem a seu favor a facilidade em persuadir e apresentar bem suas idéias e a visão abrangente de mundo, fatores que já o diferenciam na hora da entrevista.
Mas isto só não é suficiente. O estudante deve estar atento sobre a importância da interação que deve haver entre apresentador, público e conteúdo da mensagem. Hoje os aluno de RP está habituada a fazer apresentação de trabalhos e seminários, enfrenta apenas o ambiente acadêmico.Amanhã, estará diante do cenário empresarial. Na academia, o público é constituído pelos coordenadores de curso e estágios, professores e colegas de classe. No ambiente empresarial, no momento da seleção, o estudante deve estar preparado para “cair na real” e enfrentar um público diferente constituído por profissionais da empresa, em particular, pelos executivos da área de recursos humanos. Vão propor situações, fazer perguntas sobre conhecimentos gerais, que às vezes pegam de surpresa o candidato, por exemplo: Qual foi o último livro que você leu? Quantos livros você lê por semestre? Qual a exposição em cartaz hoje no Museu de Arte Moderna de São Paulo? Quantos jornais/revistas você tem o costume de ler? Como é o nome do Ministro da Fazenda? Conhece algum lançamento recente de livro sobre sua profissão? Essa rápida sabatina, que muito revela do candidato, pode ser seguida de pedidos de produção de um texto ou a solução imediata para um problema inesperado. E a pressão exercida por outros colegas que, na dinâmica de grupo, estarão concorrendo à mesma vaga?
Neste contexto, vê-se a necessidade de candidatos bem mais preparados, atentos ao mundo a seu redor, aberto às novas idéias, capaz de gerar credibilidade pelo nível de seus conhecimentos e adequação de suas respostas.
O que conta hoje é a capacidade de trabalhar em equipe, competência em solucionar situações de conflito tão comuns no cotidiano das empresas, flexibilidade na execução de tarefas...
Afinal, enfrentar desafios faz parte da carreira profissional. Só sairá vencedor quem tiver consciência de que os fatores diferenciadores do profissional no mercado devem ser cultivados desde o primeiro ano da faculdade. Quem deixou para depois, dificilmente será diferenciado na hora da entrevista de emprego.

Isabella Lopes Hespanha de Freitas
Estagiária do Núcleo de Produtos, II semestre.

 

Que profissão vou seguir?

Muitos jovens, na hora de escolher a profissão, deixam de optar por Relações Públicas por não saberem o que ela é, nem conhecerem as oportunidades que oferece. no mercado de trabalho. Para esclarecer os vestibulandos, os professores do curso de Relações Públicas da Universidade Metodista vem realizando palestras em cursinhos, escolas e feiras de comunicação.
As apresentações esclarecem as dúvidas dos vestibulandos sobre o curso oferecido pela FAJORP, que tem uma tradição de 30 anos, e se coloca entre os primeiros no ranking dos curso de RP do Brasil. Explicam ainda os professores o que faz um profissional de Relações Públicas, qual a sua área de atuação e qual deve ser o seu perfil nos dias de hoje; apresentam ainda dados estatísticos sobre o mercado de trabalho e as formas de conquistá-lo a partir do momento que se entra em um curso de RP.
Os resultados desse trabalho já produziram frutos: na turma do I Semestre de 2003, cerca de 16% dos alunos tomaram conhecimento do curso por meio da participação em eventos como os que comentamos.
A equipe de professores da Metodista que ministra as palestras é formada pelas professoras Isildinha Martins, Jocélia Maris Mainardi e pelos professores Paulo Regis Salgado, João Evangelista Teixeira e Walmir de Medeiros Lima, estando sob a responsabilidade do Núcleo de Eventos da Agência Experimental de Relações Públicas.

Marcus Vinícius Machado
Estagiário do Núcleo de Produtos, I semestre


Artigo

A queda da propaganda
e a ascenção de Relações Públicas

Essa é a primeira evidência para quem lê o sumário do livro de Al Ries & Laura Ries, traduzido para o português pela editora Campus sob o titulo: A queda da propaganda. Da mídia para à mídia espontânea.
Mas o que provocou fortes reações foi a passagem do autor por São Paulo, onde proferiu uma conferência para uma seleta audiência de publicitários e comunicadores. Nelson Blecher, em artigo na revista Exame, cita Guerry Khermouch, resenhista da Business Week, e diz que “Ries expõe uma tese polêmica que pode ser sintetizada em três pontos. Primeiro: o lançamento de um novo produto é agora missão das relações públicas. Segundo: a propaganda perdeu sua função como ferramenta de construção de marcas. Terceiro: o papel da propaganda é defender a marca quando ela já for conhecida”.
Está armada a discussão, que sem dúvida, irá muito longe, pois se trata de admitir uma revisão nos conceitos tradicionais da propaganda, de suas fraquezas e de seus mitos e também de aceitar que relações públicas, por sua visão corporativa e estratégica e por sua atuação permanente na construção e na manutenção dos relacionamentos das organizações com seus públicos de interesse, têm muito mais a oferecer do que a maioria dos publicitários supunha ou se recusava a admitir.
Esse questionamento será saudável e deverá estimular as faculdades de comunicação, principalmente aquelas que oferecem cursos de propaganda e relações públicas, a reverem seus conceitos e a partirem para pesquisas próprias com o fim de contestarem ou de concordarem com as afirmações de Al Ries. Até agora, vigoraram os paradigmas aceitos sem discussão, na linha do quod volumus libenter credimus, ou seja, aceitamos prazerosamente aquilo que queremos ou de que gostamos.
Como este boletim destina-se, em primeiro lugar, ao meio universitário, nossa exposição do livro de Al Ries, neste artigo, será apenas de sua estrutura, levando-se em conta a dificuldade que muitos universitários têm em encontrar lançamentos recentes nas distantes regiões em que se encontram.
O autor divide seu trabalho em cinco partes: Parte um: A queda da propaganda. Parte dois: A ascenção de Relações Públicas. Parte três: A nova função da propaganda. Parte quatro: Diferenças entre propaganda e relações públicas. Parte cinco: pós-escritos.
A divisão acima já dá a entender que a primeira parte é dedicada ao estudo da propaganda em suas diferentes manifestações: suas glórias, seus mitos e as razões de sua queda. A segunda parte vem em defesa das relações públicas, demonstrando por que está em ascenção. Dentro de seu posicionamento, o autor dedica a parte quatro à famosa questão disputada há muitos e muitos anos nos meios acadêmicos: diferenças entre propaganda e relações públicas.
Está aí a visão geral do livro, que comentaremos em outros artigos mais detidamente. Mas, fica a recomendação a quem se interessar pela tema: ler atentamente Queda da Propaganda. Da mídia paga à mídia espontânea. Al e Laura Ries; tradução de Ana Beatriz Rodrigues. – Rio de Janeiro: Campus, 2202. Título original: The fall of advertising.

Professor Dr. Fábio França


Expediente

O Canal RP: informativo eletrônico produzido pelo Núcleo de Produtos e Instrumentos de Comunicação da Agência de Relações Públicas Unidade Experimental da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Seu objetivo é divulgar e promover a atividade profissional, tendo como referencial a qualidade UMESP e seu curso de Relações Públicas.


Equipe de Produção

Editor: Professor Ms. Fábio França (MTB1880)
Revisão: Professora Ms. Débora Marie Tamayose e João E.Teixeira.
Equipe de Redação: Ana Lúcia Molina, Daniel Kazuiti Kaga, Isabella Lopes H. de Freitas, Leonardo Filoso, Leonardo Godoy, Marcus Machado.
Coordenador do Núcleo de Produtos: Prof. Ms. Fábio França CONRERP SP/PR-586
FACULDADE DE JORNALISMO E RELAÇÕES PÚBLICAS
Diretora e Coordenadora do curso de Relações Públicas: Profa. Dra. Maria Aparecida Ferrari

E-mail: canalrp@metodista.br

E-mail: agenciarp@metodista.br