nº 69 - 15/03/2004
 

NOTÍCIAS

MULHERES CONQUISTAM SEU ESPAÇO NO MERCADO DE TRABALHO

Desde o ano de 1857, quando cerca de 130 mulheres morreram em Nova Iorque por reivindicarem a redução da carga horária de trabalho de 16 para 10 horas diárias, muita coisa evoluiu no mercado de trabalho feminino brasileiro.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo grupo Catho, as mulheres já ocupam 16% dos cargos de presidência e liderança nas empresas, crescimento bastante significativo se comparado com os resultados da mesma pesquisa realizada em 1994 que apontavam apenas 8,1%.
Os motivos deste crescimento são, principalmente, a capacidade organizacional, a dedicação e o jeito de lidar com as pessoas.
“Pela própria natureza, as mulheres são mais detalhistas, têm maior percepção para o mercado e naturalmente estão se preparando muito antes que os homens. Este crescimento é tendência mundial e não é à toa: nas universidades elas já são maioria”, diz Paulo Kretly, consultor e diretor da FranklinCovey do Brasil, empresa de consultoria focada em carreiras e recursos humanos.
A pesquisa mostra, ainda, que a preferência pela área de atuação das mulheres é em recursos humanos (57,70%), relações públicas (48,39%) e área administrativa (34,43%), enquanto que a menor participação feminina ocorre nas áreas da indústria e da engenharia, apenas 14,25%.

Amanda Falchetti – V Semestre

 

PESQUISA ANALISARÁ DANOS À IMAGEM DO GOVERNO LULA

No dia 27/02, o Palácio do Planalto anunciou que fará uma pesquisa, via telefone, nos finais de semana, para avaliar o estrago que os casos Waldomiro Diniz e a proibição dos bingos causaram à imagem do governo Lula. Servirá também para analisar as medidas de combate à crise no caso do abafamento da CPI (Waldomiro Diniz) e os danos à imagem do ministro da Casa Civil.
Essa pesquisa demonstra a importância que as organizações (empresas, governo, ONGs etc) devem atribuir à preocupação com sua imagem e com o bom relacionamento com seus públicos estratégicos. No caso dos bingos, por exemplo, os entrevistados poderão influenciar na decisão do governo já que este ainda não decidiu se apoiará ou não a CPI proposta pela oposição.

Priscila Delgado Martins – III Semestre

TAMANHO NÃO É DOCUMENTO

Empresas de pequeno e médio porte criam medidas que revolucionam o ambiente interno, e provam que não é preciso ser uma organização grande para possuir funcionários motivados, satisfeitos e participativos.
Preocupadas em garantir o envolvimento, o desenvolvimento profissional e a responsabilidade social de seus colaboradores, essas empresas se destacam principalmente por desenvolverem programas simples e por acreditarem que o diferencial está na postura dos líderes.
Um bom exemplo disso é o programa Presidente por um Dia, da Novozymes, localizada na cidade de Araucárias, Curitiba, no qual um dos operários da empresa é escolhido pelos próprios colegas de trabalho para trocar de posto com o presidente e viver um dia como líder da organização. O resultado de uma ação tão simples é surpreendente: o operário aproveitou a oportunidade para tirar as dúvidas sobre seu local de trabalho, conheceu melhor o faturamento da empresa e descobriu que, naquele momento, não era possível atender o pedido de seus colegas sobre um aumento, além de ter percebido como os outros departamentos também trabalham. Ele afirma que o que mais gratificante foi poder passar a experiência para os outros colegas.
Essas empresas provam que, apesar de não ser uma tarefa fácil instalar um programa assim em uma organização, não é necessário desenvolver nada complexo e caro. A simples oportunidade de um funcionário sentir como é ser o líder da empresa ou apenas dar-lhe a chance de participar mais diretamente com suas opiniões pode ter um resultado positivo ao longo do tempo, pois faz com que se sinta parte da organização.

Amanda Falchetti – V Semestre

 

EVENTOS

1° CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA – MERCADO, OPINIÃO E MÍDIA

A ABEP - Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, realizará nos dias 22 a 24 de março o 1º Congresso Brasileiro de Pesquisa - Mercado, Opinião e Mídia. A temática central será BRASIL EM ALTO CONTRASTE: CONHECER É PRECISO.
Serão apresentados estudos e cases, sessões plenárias e paralelas e exposições comerciais antes do início e ao final dos trabalhos.
Entre os palestrantes e debatedores, destacam-se John Kelly (ex-presidente da ESOMAR), Luiz Antônio Pinto de Oliveira (IBGE), Mauricio Kubrusly (Rede Globo), Jairo Bouer (canal Futura, jornal Folha de São Paulo, 89 FM e Rede Globo), Helio Mattar (Instituto Akatu) e Nelson Blecher (revista EXAME), entre outros.
Mais informações sobre o evento e inscrições acesse: www.congressoabep.com.br.

4º MIX ABERJE DE COMUNICAÇÃO INTERNA E INTEGRADA

Com o tema A Importância dos relacionamentos internos excelentes nos processos de mudanças e reconhecimento, o 4º Mix ABERJE de Comunicação Interna e Integrada contará com a apresentação de programas distintos - das empresas Acesita, Companhia Vale do Rio Doce, General Motors, Itaú, Multibrás, Odebrecht, Petrobras, Portugal Telecom, Vivo e Votorantim - em que as ações de comunicação foram essenciais para a valorização das ações de reconhecimento do público interno, de inovações de processos produtivos, e também para o fortalecimento, por meio dos trabalhadores, dos relacionamentos com os inúmeros públicos estratégicos organizacionais.
Faça a sua inscrição e ganhe o volume 1 do livro “Comunicação Interna: A Força das Empresas”.
Data: 24 de março de 2004
Local: Centro de Convenções Rebouças
Av. Rebouças, 600 – São Paulo – SP
Horário:8h30 às 17h40
Informações e Inscrições: congresso@aberje.com.br ou (11) 3662-3990.

Talita Mendes – III Semestre

 

______________________________________

RP ON-LINE

DICAS PARA SE DAR BEM NA ENTREVISTA

Uma boa entrevista começa antes mesmo de o candidato à vaga abrir a boca.
Por isso, fique atento, pois os erros estão nos detalhes.

· Chegue 10 minutos antes da hora marcada.
· Seja gentil e discreto na sala de espera.
· Use roupas discretas com cores sóbrias. Não abuse da maquiagem.
· Cuidado com unhas e cabelos sujos.
· Não demonstre medo.
· Chegue ao encontro de cabeça erguida. A postura é muito importante.
· Ao cumprimentar, olhe nos olhos da pessoa e não demore mais de cinco segundos em um aperto de mão.
· Deixe o telefone celular desligado.
· Saiba ouvir e limite-se a responder apenas sobre as questões que lhe foram formuladas.
· Não ofereça cigarros. Em um primeiro encontro, quem faz isso é o entrevistador.
· Seja objetivo. Cuidado com as expressões “a nível de”, “né”, “vamos supor que”.
· Gesticulação exagerada e repetitiva demonstra nervosismo e insegurança.

Em uma entrevista de emprego, não existe resposta certa ou errada, mas para evitar deslizes, uma boa dica é treinar perguntas e respostas da entrevista.
Mais algumas dicas:

· Procure informações sobre a empresa onde quer trabalhar. Demonstre interesse pela vaga.
· Seja espontâneo, pois respostas na ponta da língua podem até causar espanto.
· Encurte as respostas quando elas forem desfavoráveis a você e estenda-se, desde que de forma objetiva, quando tocar em assuntos que contam pontos.
· Seja breve, objetivo e verdadeiro nas respostas relativas ao seu emprego anterior.
· Procure enfatizar suas realizações com exemplos práticos e procure falar de uma maneira agradável e com humildade.
· Horas extras: se isso é um problema para você, seja sincero, mas saiba que não ter disposição para isso pode colocar tudo a perder.
· Perguntas pessoais pedem respostas objetivas. A iniciativa de tocar em assuntos do tipo deve partir do entrevistador.
· É importante mostrar que consegue separar o pessoal do profissional.
· Quanto à questão salarial, deixe espaço para a negociação. Pergunte sobre a proposta da empresa e esteja a par da faixa salarial do mercado para o cargo.
· No fim da conversa, você pode tirar alguma dúvida pontual que não foi discutida durante a entrevista, como, por exemplo, perguntar sobre a rotina de trabalho na empresa, o que mostra interesse, ou perguntar quando sairá o resultado do processo seletivo.
· Finalmente: durante a conversa, olhe nos olhos do recrutador e tenha um sorriso nos lábios.

Boa Sorte!

Juliana Samezima - II Semestre

Fonte: Matéria publicada no Jornal da Tarde de segunda feira, 22 de setembro de 2003, caderno D, página 6.

 

______________________________________

ARTIGO

TÉCNICAS DE RELAÇÕES PÚBLICAS

Em quase todas as pesquisas feitas entre estudantes, reclamam eles de que há muita teoria e pouca prática em seus cursos. Na verdade, sem excelente teoria não existe boa prática. Isso porque o projeto de relações públicas não é feito por acaso. Por seu caráter estratégico, só funciona se estiver sido elaborado a partir dos grandes objetivos do plano diretor da organização. Dessa forma, ele contribui para a realização dos objetivos corporativos, acrescentando-lhes o “saber fazer” próprio de relações públicas, o savoir faire et bien faire, como dizem os franceses, isto é, os relacionistas sabem fazer e fazem corretamente. Por que fazem bem? Porque a partir de sólido referencial teórico são capazes de empregar com saber e arte (expertise) as técnicas de relações públicas, também chamadas de ferramentas ou de instrumentos de ação e de comunicação. Em outras palavras, os relações-públicas dominam o conhecimento da mídia e encontram-se preparados para bem utilizar cada um de seus recursos e dele tirar o maior proveito, pois não emprega a mídia pela mídia, mas a mídia dirigida para gerar resultados programados. Este é o campo das técnicas de relações públicas. Mas quais são essas técnicas?

O primeiro grande instrumento de trabalho do relacionista é a comunicação. Esta é a grande arma do relacionamento: saber comunicar-se com objetivos precisos e de forma excelente com todos os públicos com os quais as empresas interagem, interna e externamente. Comunicar-se bem significa levar em conta todos os elementos que compõem ou interferem nesse processo: intelectuais, sociológicos, antropológicos, psicológicos, etc. Por isso, a arte de se comunicar com outros é difícil. São sempre duas partes envolvidas, trazendo cada uma os seus próprios conceitos do mundo e das pessoas. Comunicar significa entender esse paradigma, torná-lo flexível e aberto a receber as mensagens que gerem frutos, ou seja, é reflexão sobre a mensagem recebida, sua aceitação com ou sem contestação, e até sua rejeição. Essas mensagens elaboradas pela fonte (emissor) devem ser feitas de tal maneira que possam ser apreendidas pelos receptores dentro do mesmo foco de sua origem, para se poder dizer que houve de fato a comunicação esperada por quem iniciou o diálogo.

Como se vê, nem tudo que parece simples o é de fato. A comunicação é um processo culto, paradigmático, diádico, dialógico, midiático, para se ter um saborzinho da terminologia técnica. Por isso, para alguém se comunicar bem exige-se que conheça as normas usuais desse processo, seja empregando-o naturalmente, seja reproduzindo-o tecnicamente com objetivos específicos. É isso que faz o relações públicas. Emprega a comunicação como o seu maior instrumento de trabalho, mas o faz de modo técnico para atingir objetivos específicos, por exemplo, promover a integração dos empregados de uma empresa reunindo-os semanalmente em uma sessão de bate-papo para que: (a) se conheçam melhor e dessa forma (b) eliminem preconceitos contra os colegas, (c) comecem a ter interesse uns pelos outros, (d) gostem de participar e estar juntos, (e) apreciem o bate-papo, (f) comecem a se interessar pelo trabalho dos colegas, (g) animem-se a trocar experiências, e assim por diante. Prever tudo isso é tarefa de quem entende do riscado, como se dizia antigamente, que está bem informado, que sabe o que está fazendo como o relacionista. Comunicação não é relações públicas, mas saber comunicar-se bem com os públicos é arte do profissional de relações públicas. Essa é, portanto, a primeira técnica de relações públicas.

Professor Dr. Fábio França

INFORME-SE MAIS SOBRE RELAÇÕES PÚBLICAS!

ACESSE O SITE DO SINDICATO DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS DE RELAÇÕES PÚBLICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO.

www.sinprorp.org.br


Equipe de Produção

Editor: Professor Ms. Fábio França (MTB1880)
Revisão: Professora João E. Teixeira.
Equipe de Redação: Amanda Falchetti, Leonardo Godoy, Priscila Delgado Martins, Juliana Samezima, Talita Mendes e Tharcila Tecchi.
Estagiária Responsável:
Priscila Delgado Martins
Coordenador do Núcleo de Produtos: Prof. Ms. Fábio França CONRERP SP/PR-586

FACULDADE DE JORNALISMO E RELAÇÕES PÚBLICAS
Diretora e Coordenadora do curso de Relações Públicas:
Profa. Dra. Maria Aparecida Ferrari

E-mail: canalrp@metodista.br

E-mail: agenciarp@metodista.br