nº 75 - 08/07/2004
 

NOTÍCIAS

CANAL RP ENTRA EM RECESSO

O Canal RP voltará a circular na primeira quinzena de agosto, trazendo novidades para seus leitores. Agradecemos a quem nos acompanhou neste semestre e Boas Férias.

 

O CRESCIMENTO DAS AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO

Pesquisa realizada pela Abracom em parceria com o site Comunique-se revelou a percepção das agências de comunicação com relação ao seu futuro no mercado de trabalho brasileiro.
Oferecendo serviços como assessoria de imprensa, produção de publicações, comunicação interna, planejamento de comunicação, produção de eventos, treinamento de porta-vozes, gerenciamento de crises, comunicação digital, propaganda institucional e pesquisas quantitativa e qualitativa, 64% das 185 empresas que participaram da pesquisa acreditam que fecharão o ano de 2004 de forma “muito positiva” ou “positiva”.
O mercado para as agências de comunicação vem crescendo a cada ano, principalmente no setor de serviços, que representa 62% do atendimento, segundo a pesquisa. O Terceiro Setor, que se tornou importante para as empresas preocupadas com a Responsabilidade Social – tema amplamente discutido nos dias de hoje – é cliente de 33% das agências.
A pesquisa mostrou também que cresce o número de agências de pequeno e médio porte: 78 destas declararam receita de até R$ 500 mil anuais e 17 de R$ 501 mil a R$ 3 milhões, enquanto apenas 4 agências declararam receita acima de R$ 3 milhões, em 2003.
Assessoria de Imprensa é o serviço mais procurado pelos clientes nas agências de Comunicação.
Intercalando clientes fixos e clientes em esquema de job, estas empresas estão se solidificando no mercado, sendo cada vez mais percebidas pelas demais empresas por sua importância no que se refere à administração da comunicação, sob diversas formas e instrumentos, com os públicos de interesse

Christina Rachel Cardoso -III Semestre

Fonte: Revista Imprensa -Jornalismo & Comunicação / Junho de 2004, Ano 17, nº 191, , pg. 81.

 

A DIFÍCIL VIDA DE UM ASSESSOR DE IMPRENSA

No exercício de sua função, o assessor precisa adotar uma postura firme e coerente, para poupar o assessorado de crises de efeitos devastadores. Porém, este não é o seu maior desafio. O pior é quando ele precisa fazer valer a sua autoridade de especialista em comunicação social.
Além de não ser ouvido, sua avaliação da situação e opinião profissional quase sempre ficam em segundo plano. Para seu desespero, a opinião de pessoas próximas ao assessorado, que acreditam entender de comunicação, é o que conta na prática, o que acaba se tornando um complicador adicional.
Muitos contratantes não se preocupam em seguir o que o assessor diz e, às vezes, fazem questão de deixar claro que tudo será feito à sua maneira. Quando as coisas chegam a este ponto, o assessor só tem uma coisa a fazer: pedir demissão e procurar outro emprego.
Mas que ele não se iluda na esperança de que, no novo emprego, as coisas serão muito melhores, pois, como diria o ex-ministro da Previdência, Hélio Beltrão, “Ministro não erra. Quem erra é assessor”.

Fernando – I Semestre
Fonte: Revista Imprensa - Jornalismo & Comunicação / Junho de 2004, pagina 56.

 

COMPÓS

Foi realizado, entre os dias 22 e 25 de junho, o XIII Encontro Anual da COMPÓS (Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Comunicação).
A COMPÓS foi fundada em junho de 1991, em Belo Horizonte, a partir da iniciativa de alguns pesquisadores e representantes de cursos de Pós-Graduação, com o objetivo de estimular a comunidade acadêmica a aperfeiçoar-se profissionalmente.
Neste ano, o evento realizou-se na UMESP, em São Bernardo do Campo, e contou com a participação de alunos, pesquisadores, profissionais, professores de comunicação, sociologia, psicologia e área afins, divididos em 12 Grupos de Trabalhos, que discutiram temas como Comunicação e Política, Cultura das Mídias e Epistemologia da Comunicação.
A COMPÓS é realizada todos os anos e possui um site com informações e notícias de assuntos ligados à área de comunicação. Para acessá-lo, clique aqui.

Priscila Delgado Martins - III Semestre

 

PROJETOS EXPERIMENTAIS – 1º SEMESTRE 2004

Nos dias 21 e 22 de junho, os alunos do VIII semestre do curso de Relações Públicas da Umesp apresentaram seus trabalhos de conclusão de curso para uma banca composta pelos profissionais Cláudio Andrade (Escola Belas Artes), Silvia Liberatore (ABERJE), o relações-públicas Líbero Pinca Filho, Patrícia Pezzolo Barreros (AOL), Eugênia Barichelo (Universidade Federal de Santa Maria) e Gislaine Rosseti (BASF).
Para premiar o melhor projeto experimental, a Fajorp criou, em 2002, o Prêmio Talento Metodista e, como forma de incentivo ao aluno com o melhor desempenho ao longo do curso, criou o Prêmio Cândido Teobaldo de Sousa Andrade.
Em sua terceira edição, a cerimônia de premiação ocorreu no dia 25 de junho, logo após a apresentação dos TCCs.
O Prêmio Cândido Teobaldo foi entregue à aluna Paula Regina dos Santos Gonçalves, que obteve a melhor média dentre rodos os alunos do VIII semestre.
Receberam o Prêmio Talento Metodista os alunos Augusto dos Santos Caio, Carolina de Fernandes, Fabiana Silva do Carmo, Maíra Galrão Tamberlini e Tatiane Souza Torezan, da agência Fator Público, que teve como cliente a Star Editora e Comunicação LTDA. – Revista Vitrine.
O 2º lugar ficou com as alunas Amanda Dal Colletta Ronchi, Mara Martine de Oliveira, Patrícia Reis Gobbi e Roberta Jabur Sartori, da agência TMA RP Comunicação, que teve como cliente a Fitness Brasil. A agência experimental que ficou em terceiro lugar foi a Compasso Assessoria de Comunicação Empresarial, das alunas Denise Gardilin, Mariana Sayuri Tamura, Mariana Passos Seixas e Paula Regina dos Santos Gonçalves, com a Escola Luxor de Dança do Ventre como cliente.

Christina Rachel – III Semestre

 

______________________________________

 

RP ON LINE

QUAL É A IMAGEM DA SUA EMPRESA?

Em um mercado competitivo como o de hoje, a empresa que quiser conquistar seu público não pode se basear somente na qualidade de seus produtos; outros fatores como, responsabilidade social, bom relacionamento com funcionários, bom tratamento dos clientes e um local físico de trabalho compatível com a legislação, são pontos decisivos para causar um diferencial sobre o concorrente.
Algumas empresas já possuem essa visão, pois sabem que os consumidores de hoje estão mais exigentes e também mais conscientes do que os de anos atrás, o que as tem levado a adotarem planos estratégicos com metas e prazos pré-estabelecidos para que resultem em algo concreto e eficaz diante de seus públicos.
É função do relações-públicas auxiliar a empresa a atingir seus objetivos por meio de pesquisas com os públicos, para saber o que precisa ser melhorado nessa relação e para adotar medidas condizentes na busca das melhores soluções para os problemas encontrados. As medidas para melhorar o conceito da empresa vão desde o cuidado com a logomarca, o material impresso e o treinamento para funcionários até a reestruturação da fachada de lojas e a padronização de uniformes dos funcionários.
É evidente que mudanças como essas não ocorrem a curto prazo, pois envolvem uma reformulação estratégica, que necessita da colaboração da alta administração para ser implantada. A elaboração e execução de excelente programa estratégico de relacionamentos com os públicos surtirão mais efeito do que as campanhas de comunicação de massa, pois, garantirão a percepção positiva permanente da organização por parte da sociedade e de seus públicos.

Carolynne Bonfatti - III Semestre
Fonte: Revista Forbes Online, artigo de 30 de junho de 2004, 91º edição.

 

______________________________________

 

ARTIGO

MERCADO É PROMISSOR

Nova mentalidade está mudando perfil do profissional que esteve à margem da comunicação

A falta de clareza no que se refere às atividades desenvolvidas pelo profissional de Relações públicas foi, durante muito tempo, um grande empecílio para que a profissão fosse de fato reconhecida e permitiu que profisionais de outras áreas da comunicação atuassem no seu lugar. Embora, muita gente ainda desconheça a identidade da atividade e até a confunda com a de vendedor ou simplesmente com a de organizador de cerimonial, a realidade é que nunca o mercado esteve tão favorável para este profissional. Isso, porque finalmente as empresas e organizações estão percebendo a necessidade de repensarem suas estratégias, suas políticas de comunicação e estão cada vez mais conscientes de seu papel de empresas-cidadãs, adotando uma postura de responsabilidade em relação à sociedade.
Hoje, o profissional de Relações públicas tornou-se uma peça fundamental dentro de uma organização. Afinal, em tempos de globalização e concorrência acirrada, nada melhor do que alguém qualificado para manter o bom relacionamento com o público interno e externo. É a partir do trabalho desenvolvido por este profissional que a empresa conquista uma imagem positiva no mercado em que atua, além da integração com funcionários, clientes, consumidores, cidadãos, parceiros, fornecedores e governos.

Diplomacia

Um exemplo disso, é a influência que o perfil diplomático do RP no momento em que a empresa ou entidade para a qual trabalha tem necessidade de informar algo ao Governo, solicitar alguma informação ou advogar seus interesses junto aos centros de decisão. Em casos assim, em que as decisões políticas são tomadas por uma equipe formada por duas ou três pessoas, é imprescindível a presença de um profissional que se relacione bem com todos os níveis hierárquicos do poder. Entre eles, pessoas que fazem parte do segundo e terceiro escalões governamentais, parlamentares federais, estaduais e municipais, autoridades e líderes político-administrativos, dos quais depende, em maior ou menor grau, qualquer decisão política. É graças à profissionalização das relações políticas que a importância do Relações públicas tem crescido dentro das empresas. Apenas os contatos pessoas já não são suficientes para resolver eventuais problemas de relacionamento entre a empresa ou entidade e seus vários públicos. Neste caso, uma postura diplomática e bem direcionada depende de um trabalho sistemático e organizado de relações públicas, ou seja, de relacionamento corporativo (e não apenas pessoal).

Fonte: Matéria Publicada no Jornal Diário Catarinense – SC, página 06, de 21/04/ 2004.

 

INFORME-SE MAIS SOBRE RELAÇÕES PÚBLICAS!

ACESSE O NOVO SITE DE RELAÇÕES PÚBLICAS DA METODISTA E O SITE DO SINDICATO DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS DE RELAÇÕES PÚBLICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO.

www.metodista.br/agenciarp

www.sinprorp.org.br


Equipe de Produção

Editor: Professor Dr. Fábio França (MTB1880)
Revisão: Professor João Evangelista Teixeira.
Equipe de Redação: Amanda Falchetti, Carolynne Bonfatti, Christina Rachel Cardoso, Fernando Barone, Leonardo Godoy e Priscila Delgado Martins.
Estagiária Responsável:
Priscila Delgado Martins
Coordenador do Núcleo de Produtos: Prof. Dr. Fábio França CONRERP SP/PR-586

FACULDADE DE JORNALISMO E RELAÇÕES PÚBLICAS
Diretora e Coordenadora do curso de Relações Públicas:
Profa. Dra. Maria Aparecida Ferrari

E-mail: canalrp@metodista.br

E-mail: agenciarp@metodista.br